Sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

Deputados da base de Lula assinam pedido de impeachment de Lula; saiba quem são eles

Deputados filiados ao MDB, ao PSD e ao União Brasil assinaram o mais recente pedido de impeachment de Lula protocolado na Câmara. Os partidos comandam, juntos, oito ministérios no governo federal. O MDB está à frente dos Transportes, do Planejamento e das Cidades. O PSD chefia Agricultura e Pecuária, Pesca, e Minas e Energia. Já o União Brasil comanda Turismo e Comunicações.

O texto, apresentado à Câmara dos Deputados na terça-feira (6), é de autoria do deputado Ubiratan Sanderson (PL-RS) e conta com 47 assinaturas. É o maior número de apoios para o afastamento do presidente desde o início do mandato do petista. Em março, a oposição havia protocolado um pedido de impeachment com 33 assinaturas.

Ao todo, 48 deputados assinaram o pedido de impeachment. Na lista, há representantes de oito partidos: PL, PP, PSD, Novo, Republicanos, MDB, Podemos e PSDB. Pelo MDB, os signatários do pedido de impeachment foram Delegado Palumbo (SP) e Thiago Flores (RO). No PSD, a adesão foi de Sargento Fahur (PR). Já no União Brasil, Rodrigo Valadares (SE) manifestou apoio à abertura do processo de afastamento de Lula.

Nas redes sociais, a deputada federal Bia Kicis (PL-DF) divulgou uma imagem que consta o nome dos parlamentares signatários do pedido. A maior parte deles é filiado ao Partido Liberal (PL), mesmo partido do ex-presidente Jair Bolsonaro.

As legendas MDB, PSD e União Brasil somam juntos oito ministérios do governo e formam a base aliada: Transportes (Renan Filho), Planejamento (Simone Tebet) e Cidades (Jader Filho) pertencem ao MDB; Agricultura (Carlos Fávaro), Pesca (André de Paula) e Minas e Energia (Alexandre Silveira), pertencem ao PSD; e Turismo (Daniela Souza Carneiro) e Comunicações (Juscelino Filho) pertencem ao União Brasil.

O novo pedido de impeachment foi motivado pelo convite feito por Lula ao ditador venezuelano Nicolás Maduro, acusado pelos Estados Unidos de narcoterrorismo. E, também, pela indicação de Cristiano Zanin, advogado pessoal do presidente, ao Supremo Tribunal Federal. Os signatários do pedido de impeachment afirmam que ambas as condutas teriam configurado crimes de responsabilidade.

A abertura do processo de impeachment precisa ser avalizada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira. Parlamentares da oposição acreditam que os atritos entre Lira e o governo federal contribuem para que a ação venha a ser instaurada. Este é o sexto pedido protocolado que solicita a saída de Lula do cargo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Anvisa aprova primeiro medicamento injetável para prevenção do HIV no Brasil
Dilma tenta emplacar advogado como ministro do Superior Tribunal de Justiça depois de Lula indicar Zanin ao Supremo
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play