Terça-feira, 17 de maio de 2022

loader

Dos atuais 23 ministros de Bolsonaro, pelo menos 17 já pegaram covid

Dos atuais 23 ministros do governo do presidente Jair Bolsonaro, pelo menos 18 já pegaram covid-19. Quatro tiveram a doença antes de assumir o cargo.

As duas confirmações mais recentes são da ministra Tereza Cristina (Agricultura) e Bruno Bianco (Advocacia-Geral da União), que anunciaram teste positivo nesta sexta-feira (24).

Outros cinco ex-ministros também tiveram covid. Os cinco enquanto estavam nos cargos.

Contraíram a doença

— Pegaram covid no exercício do cargo: Marcelo Queiroga (Saúde); Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral da Presidência); Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional); Bento Albuquerque (Minas e Energia); Milton Ribeiro (Educação); Onyx Lorenzoni (Trabalho); Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações); Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União); Braga Netto (Defesa); Fábio Faria (Comunicações); Tereza Cristina (Agricultura); Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e Bruno Bianco (Advocacia-Geral da União).

— Antes de assumir o cargo: João Roma (Cidadania); Ciro Nogueira (Casa Civil); Anderson Torres (Justiça); Gilson Machado (Turismo); Joaquim Leite (Meio Ambiente).

— Ex-ministros que contraíram quando estavam no governo: André Luiz Mendonça (Justiça e AGU); Jorge Oliveira (Secretaria-Geral); Marcelo Álvaro Antônio (Turismo); Eduardo Pazuello (Saúde); Ricardo Salles (Meio Ambiente).

Primeira-dama vacinada

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em entrevista à revista “Veja”, publicada nesta sexta, que a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, se vacinou nesta semana nos Estados Unidos. Michelle integrou a comitiva presidencial que foi a Nova York por ocasião da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Para políticos e infectologistas, a opção da primeira-dama de se vacinar nos Estados Unidos, e não no Brasil, é um “absurdo” e um “desprezo” ao Sistema Único de Saúde (SUS) e ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Bolsonaro foi questionado pela revista se é um mau exemplo o fato de ele ter declarações contra vacinas e ter demorado para comprar imunizantes para o Brasil. Na resposta, o presidente contou que Michelle quis se vacinar na viagem ao exterior. Bolsonaro reforçou que ele ainda não se vacinou.

“Tomar vacina é uma decisão pessoal. Minha mulher, por exemplo, decidiu tomar nos Estados Unidos. Eu não tomei”, revelou o presidente para “Veja”.

Michelle poderia, se quisesse, ter tomado a vacina no Brasil. Em Brasília, cidade onde a primeira-dama mora, a vacinação para a idade dela (39 anos) está disponível desde o dia 23 de julho.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Governo aprova dose de reforço contra a covid para profissionais da saúde
Aliados do ex-juiz Sérgio Moro acreditam que, hoje, sua tendência é concorrer a uma vaga no Senado
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play