Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Enfiou o pé na jaca? Veja o que fazer para curar a ressaca

Dor de cabeça, mal-estar, gosto ruim na boca, sede excessiva, enjoo, cansaço. Se você acordou com esses sintomas após beber demais no dia anterior provavelmente o diagnóstico é um só: ressaca

Muita gente vai passar o dia seguinte das festas de fim de ano procurando a cura para essa sensação desconfortável. No entanto, as notícias não são boas. Não existe um remédio ou uma receita mágica para prevenir ou curar a ressaca e, segundo especialistas, os sintomas podem ter uma duração de oito a doze horas. Para o ressacado, só resta esperar passar.

O que é a ressaca e por que ela provoca um mal-estar no dia seguinte?

A ressaca é o resultado de uma intoxicação pelo álcool. Raymundo Paraná, médico hepatologista e professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA), explica que o primeiro passo de metabolização do álcool passa pelo estômago, por uma enzima chamada álcool desidrogenase.

“Cada pessoa tem uma quantidade diferente e é como se essa enzima fosse a primeira passagem que modula a quantidade de álcool que vai chegar ao fígado. No fígado, o álcool se transforma em acetaldeído – um composto que causa desidratação celular, pode agredir as células e dá a sensação de mal-estar”, diz o hepatologista, que também é pesquisador do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR).

Christian Morinaga, gerente do Pronto Atendimento do Hospital Sírio-Libanês, lembra que não existe uma quantidade segura para não ter ressaca, mas quanto mais álcool ingerimos, maior a chance e a intensidade da ressaca. O médico ressalta que o tema também não é brincadeira.

A ingestão exagerada de álcool também pode levar a consequências mais graves, para além da ressaca, como o coma alcoólico. “O indivíduo apresenta uma intoxicação e embriaguez num grau elevado e isso faz com que ele deprima o Sistema Nervoso Central (SNC) e entre em coma. O álcool em excesso também pode causar arritmias em pessoas com predisposição”, alerta Paraná.

Tem tratamento? Dá para prevenir?

Não existe um tratamento específico para a ressaca. Morinaga diz que o mais importante é: Manter repouso; Tentar manter uma boa hidratação; Evitar o jejum e fazer refeições leves (comida gordurosa pode piorar os efeitos da ressaca); Utilizar analgésicos simples (em casos de dor de cabeça ou dor); e Tomar medicamentos antieméticos (contra o enjoo).

E tem como prevenir? A pessoa pode optar por dois caminhos: não beber ou beber moderadamente, sem excessos. Além disso, os especialistas dão algumas dicas que podem ajudar a amenizar os sintomas: Evite beber de estômago vazio (o que acelera a absorção do álcool); Evite beber quando o sono não está regular; Hidrate-se durante o consumo de álcool – o ideal é um copo de água para cada dose de bebida. A água ajuda a diluir o álcool no estômago e a chance de ficar muito intoxicado é menor.

Mito ou verdade?

Misturar vários tipos de bebidas alcoólicas piora a ressaca? Não piora nem melhora. O que vai importar é a quantidade de álcool que você consumiu e a sua suscetibilidade.

As mulheres são menos resistentes ao álcool? É verdade. As mulheres têm menos quantidade de álcool desidrogenase – enzima que modula a quantidade de álcool que vai chegar ao fígado.

Depois dos 30 anos, a ressaca é pior? Não. É uma verdade relativa. O álcool desidrogenase vai diminuindo com a idade, mas isso costuma ocorrer entre 40 e 50 anos.

Vomitar ajuda a passar a ressaca? Não. O vômito pode aliviar o desconforto pela distensão do estômago, mas pode induzir à perda de sais minerais e desidratação. Em geral, os sintomas da ressaca só aparecem depois que todo o álcool ingerido já foi absorvido e metabolizado.

Existe bebida boa e bebida ruim? Existem bebidas que são mais impuras, que trazem não só o álcool, mas outras substâncias que podem gerar mais intolerância e sintomas. Bebidas mais “qualificadas” têm menos impurezas e reduzem riscos de agentes adicionais à intoxicação, além do álcool. Mas vale lembrar: o mais importante é sempre a quantidade de álcool que você bebeu.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Festas de final de ano: como manter a saúde sem exagerar na alimentação
Verão 2023: 5 opções de lugares para passar o recesso de fim de ano
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play