Sexta-feira, 19 de julho de 2024

Festas de final de ano: como manter a saúde sem exagerar na alimentação

Com diversas opções de alimentos, a ceia de Natal é uma tradição que reúne amigos e familiares. Dias festivos, como os natalinos e o Ano Novo, podem ser combinados com escolhas saudáveis de uma forma leve e sem pressão, não só nesse período, mas também em outros momentos da vida.

A energia do momento de união já é benéfica para as relações sociais. Ainda, a data representa amor e cuidado com o outro, então, nada melhor do que também transmitir esse sentimento no preparo dos pratos para a ceia.

Um exemplo é evitar frituras e incluir mais carnes magras, como aves e frutos do mar. Saladas e legumes podem ser adicionados de formas variadas, juntamente às castanhas e frutas da época para o preparo de sobremesas. Aliás, outro ponto essencial é que tudo seja planejado de uma forma que evite desperdícios.

Em meio a tantas opções, é importante ter em mente que o consumo em excesso pode prejudicar o corpo. “É preciso prestar atenção nos ingredientes, na forma de preparo da ceia e na sensação de saciedade para evitar uma ingestão desnecessária quando já não há fome”, diz a endocrinologista Renata Marques.

Montando um prato saudável

Comemorado em diversas regiões ao redor do mundo, o Natal é composto por alimentos mais voltados para o inverno. A nutróloga Marcella Garcez lembra que isso ocorre por conta da influência de culturas do hemisfério norte que, nesse período do ano, são marcadas por dias mais frios. Nessa estação, ela lembra que o gasto calórico é um pouco maior.

Mas, em países como o Brasil, o período das decorações vermelhas e iluminadas ocorre no verão. Por isso, o recomendável é consumir alimentos menos calóricos. Então, no momento de montar o prato, vale apostar em algo bem colorido e diversificado, com verduras, proteínas e carboidratos.

“Inicie pelas saladas frias e legumes cozidos, preenchendo duas partes do recipiente. Em seguida, adicione proteína, que pode ser de origem animal ou vegetal. Complete o compartimento restante com carboidrato, podendo ser subdividido, caso haja mais de um tipo”, orienta Renata.

Consumo de carnes típicas

O peru é, com certeza, o destaque de muitas ceias e se tornou uma das carnes típicas do Natal. Muitos o aproveitam, até mesmo, na comemoração de Ano Novo. Para quem não é vegetariano ou vegano, Marcella sugere escolher carnes com cortes mais finos e assados.

No comércio existem diversas opções de carnes já temperadas, mas, segundo Renata, o ideal é preparar esse alimento com temperos naturais para evitar compostos ricos em sódio e conservantes. A dica de um cozimento mais caseiro vale tanto para peru quanto para lombo, frango e bacalhau.

Atenção com bebidas alcoólicas!

Se tem algo que também marca presença na maioria das festividades são as bebidas alcoólicas. Primeiramente, lembre-se que não se deve dirigir após o consumo de qualquer tipo dessas bebidas.

Com isso em mente, é importante que essa ingestão seja feita com muito cuidado para evitar consequências negativas ao organismo. Marcella cita três passos: “Não beba com estômago vazio, pois isso aumenta a velocidade de absorção do álcool e o risco de intoxicação. A segunda dica é não misturar várias bebidas durante a festa. O ideal é começar e terminar a noite tomando o mesmo tipo. A terceira é matar a sede com água antes de começar a beber e, também, entre os copos de bebida alcoólica, mesmo que a escolha seja a cerveja.”

Problemas causados por consumos excessivos

Seja o excesso de bebidas alcoólicas, seja o de alimentos, isso pode acarretar problemas de saúde. No primeiro caso, há o risco da própria ingestão exagerada se tornar um hábito e provocar alterações metabólicas e psiquiátricas, como destaca Marcella.

Outros problemas de beber em abundância esse tipo de líquido são as chances de intoxicação do fígado, alterações digestivas, desidratação e aumento da propensão a doenças cardiovasculares.

Ainda, o consumo excessivo de alimentos e bebidas nas festas de final de ano podem intensificar os sintomas de quem tem refluxo gastroesofágico. “A doença tem relação com a capacidade de esvaziamento do estômago. Para quem tem o problema, o ideal é fracionar as refeições, mastigar lentamente, evitar líquidos junto às refeições e não deitar logo após ter se alimentado”, explica Renata.

Para quem possui doenças crônicas como obesidade, diabetes, hipertensão, dislipidemia e gota, esse excesso pode provocar um desequilíbrio no organismo, como alerta Marcella.

Por isso, além de ter em mente a importância de se alimentar de forma equilibrada, a hidratação é outro ponto essencial que ajuda, até mesmo, a evitar consumos excessivos. A água precisa estar presente antes, durante e após as comemorações.

“A água ajuda a manter a atividade das células, facilita a digestão e permite um funcionamento adequado dos rins, evitando a retenção de líquidos no nosso corpo”, destaca Renata. Ela também sugere uma intercalação com sucos de frutas, água saborizada ou outras bebidas naturais.

“O mais importante é reconhecer seus limites, sem deixar de aproveitar esses momentos. O período natalino deve ser vivido de forma especial, sem restrições absurdas, apenas mantendo cautela e moderação no consumo alimentar”, finaliza a endocrinologista.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Dez alimentos para incluir no cardápio que fazem bem para a pele
Enfiou o pé na jaca? Veja o que fazer para curar a ressaca
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play