Terça-feira, 21 de maio de 2024

Entenda por que o Bradesco perdeu R$ 27 bilhões em valor de mercado em dois dias

As ações do Bradesco sangraram por dois dias seguidos, desde a divulgação do balanço e do novo plano estratégico. A forte queda levou o banco a perder R$ 27 bilhões em valor de mercado desde o meio da semana. O banco terminou a quinta-feira valendo R$ 138,8 bilhões na bolsa e foi ultrapassado pelo BTG Pactual.

As ações preferenciais, as mais líquidas, fecharam a sessão cotadas a R$ 13,56, em queda de 2,87%. Na véspera, haviam caído 15,9%. Entenda os motivos:

– Balanço: Os números do quarto trimestre decepcionaram. O banco reportou lucro de R$ 2,878 bilhões, bem abaixo das projeções de analistas, que eram de R$ 4,647 bilhões na média. O banco fez provisões mais altas que o esperado para operações de atacado, o que ofuscou a melhora na inadimplência de pessoa física. A instituição também apresentou despesas operacionais elevadas. No resultado contábil, houve impacto também de uma provisão de R$ 570 milhões relacionada à reestruturação do banco.

– Projeções: Mais do que o balanço em si, as projeções do Bradesco para 2024 incomodaram analistas e invesstidores. Os números do “guidance” mostram um ano ainda difícil e de baixo crescimento para o banco.

Segundo analistas, as projeções fornecidas pela instituições financeiras apontam para um lucro líquido de R$ 17 bilhões a R$ 18 bilhões neste ano — não muito melhor, portanto, que os R$ 16,3 bilhões obtidos em 2023.

O presidente do banco, Marcelo Noronha, afirmou que 2024 será um ano de “transição”, com melhora visível nos resultados só a partir de 2026.

– Plano estratégico: Analistas consideram que o plano estratégico do Bradesco para os próximos cinco anos vai na direção correta, com simplificação na estrutura de gestão e uso mais intensivo de tecnologia. No entanto, houve pouco detalhamento das medidas. Ao mesmo tempo, a instituição financeira só prevê uma “normalização” de sua rentabilidade em 2026, o que também contribuiu para que os investidores reprecificassem as ações num patamar bem mais baixo.

Noronha afirmou que optou por um plano mais demorado, porém mais aprofundado. “Prefiro surpreender do que prometer e não entregar”, disse.

Transição e guidance

Noronha também afirmou que 2024 será um ano de transição. “Estamos absolutamente confiantes em nossa capacidade de execução das novas iniciativas, que vão elevar o potencial de lucratividade nos próximos anos”, afirmou.

Para 2024, o banco estimou crescimento de 7% a 11% para a carteira de crédito, com expansão de 3% a 7% na margem financeira e aumento de 2% a 6% nas receitas de prestação de serviços e de 5% a 9% nas despesas operacionais.

O Bradesco também estimou PDD expandida entre R$ 35 bilhões a R$ 39 bilhões.

Analistas do Citi estimaram que o guidance para 2024 implica lucro de cerca de R$ 17 bilhões em 2024, “mostrando alguma recuperação, mas em uma base muito deprimida, e com nível ainda muito alto de despesas de provisão”, conforme relatório a clientes.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

40 bairros sofrem com a dengue em Porto Alegre
PT prepara Janja para subir em palanques e buscar votos nas eleições municipais deste ano
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play