Segunda-feira, 20 de maio de 2024

PT prepara Janja para subir em palanques e buscar votos nas eleições municipais deste ano

O Partido dos Trabalhadores planeja uma série de ações para colocar em evidência a primeira-dama, Janja da Silva, na campanha deste ano. Considerada um ativo eleitoral, a socióloga deve gravar vídeos para candidatos e reforçar palanques durante o pleito municipal de outubro. A ideia é ajudar a catapultar candidaturas femininas e auxiliar a legenda a conquistar votos.

A esposa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, também já alinharam a participação de Janja em palestras de formação de pré-candidatas.

No PT, a primeira-dama é vista como uma figura que anima a militância. Pela primeira vez, o partido está montando um mapa eleitoral junto aos dirigentes estaduais com a perspectiva de superar a cota dos 30% de participação feminina. Uma das metas internas é chegar a um patamar próximo de 50% — o percentual que Janja defende para este ano.

“Janja tem sido um estímulo e uma referência para a participação das mulheres na política. Estive com ela e a convidei para participar das campanhas de nossas candidatas nestas eleições, porque este é um desejo do PT. Agora vamos construir agendas com a presença dela”, disse Gleisi.

Encontro marcado

Em março, um encontro de pré-candidatas em Brasília deverá ter Janja como uma das protagonistas — nesse sábado, ela publicou um post nas redes sociais comemorando o aniversário do partido e lembrando que é filiada desde os 17 anos. Na conferência, devem ser definidas as postulantes que receberão formação política, oficinas de comunicação, contábil e jurídica.

Em discussões internas, Janja também tem apontado a necessidade de que sejam reforçados mecanismos de proteção às mulheres vítimas de violência política de gênero, ou que sofram ameaças e, por isso, deixam de disputar eleições.

Uma das ideias em discussão com a primeira-dama é a criação de oficinas que garantam cuidados e proteção das candidatas no ambiente digital. Nas conversas, Janja tem defendido que não dá para pedir que mulheres sejam candidatas, se elas têm medo de violência.

Nos palanques, o PT tenta fazer algo semelhante ao pleito de 2022, quando Janja participou ativamente da campanha de Lula. Na ocasião, a primeira-dama subia em palcos, discursava e cantava jingle do petista. Durante o período, ela já cobrava maior participação feminina no comando de campanha e chegou a se negar a participar de fotos em que seria a única mulher. Em entrevista no mês passado à Rádio Metrópole, Lula disse que Janja vive a política “24 horas por dia”:

“Ela é muito interessada na questão social, sobretudo no que diz respeito à questão ambiental, de sustentabilidade, e também muito preocupada com a questão das mulheres. E me cobra, você não tem noção. Quando o (Ricardo) Stuckert tira uma fotografia minha que só tem homem, ela fica horrorizada.”

Debate interno

Desde abril do ano passado, Janja já vem participando de reuniões internas do processo de formação de mulheres que vão ser candidatas a vereadoras e prefeitas. Petistas afirmam que ela tem ajudado elaborar estratégias para ampliar a presença feminina. Ainda será discutido pela cúpula do PT as campanhas que serão prioridade para a primeira-dama.

“Nossa avaliação é de que Janja ajuda em todo país. Não há um estado específico. Devemos concentrar esforços onde tem os maiores números de eleitores, mas Janja está disposta a percorrer o país”, afirma Anne Moura, secretária nacional de Mulheres do PT.

Moura esteve ao lado da primeira-dama na conferência do PT de dezembro, quando Janja deu uma palestra a pré-candidatas.

“Vamos triplicar, multiplicar esse número de vereadoras e prefeitas pelo Brasil. Vocês são os porta-vozes do governo Lula”, disse Janja em dezembro.

Agenda de Janja

– Curso de formação: No mês que vem, a primeira-dama deve ser uma das protagonistas de um curso de formação voltado para mulheres. Uma das ideias é a criação de oficinas que foquem na proteção das candidatas no ambiente digital, para protegê-las da violência política.

– Palanques e viagens: Presente em agendas de Lula desde a campanha, Janja estaria disposta a viajar pelo país para tentar alavancar candidaturas de mulheres, segundo dirigentes do partido. Ainda não está definido pela cúpula quais cidades serão prioridades na agenda.

– Debate interno e meta: Desde o ano passado, Janja participa de reuniões internas sobre mulheres candidatas. Ela defende que o Partido dos Trabalhadores, que tem a perspectiva de superar a cota de 30% de participação feminina, precisa trabalhar para chegar perto dos 50%.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Entenda por que o Bradesco perdeu R$ 27 bilhões em valor de mercado em dois dias
A dura reação no Exército às descobertas da Polícia Federal sobre os generais Heleno e Braga Netto
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play