Quarta-feira, 01 de dezembro de 2021

Ex-ministro de Temer será o novo secretário de Tesouro e Orçamento de Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, escolheu o seu atual assessor especial Esteves Colnago para ser secretário especial de Tesouro e Orçamento da pasta. A informação foi confirmada por Guedes.

“Eu estou nomeando alguém bastante senior, com muita experiência”, disse Guedes, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. “Eu tenho tentado substituições que aumentem a qualidade da equipe. Eu não tem a menor dúvida que o Esteves leva a média para cima. Ele tem uma carreira brilhante no setor público.”

O nome de Colnago também já foi informado internamente para a equipe de Tesouro e Orçamento (antiga Fazenda) do Ministério da Economia.

Colnago assume o lugar de Bruno Funchal, que decidiu deixar o cargo na véspera por discordar das mudanças no teto de gastos negociadas pelo governo para bancar um Auxílio Brasil (novo Bolsa Família) de R$ 400.

Para o lugar do secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, que também pediu exoneração nesta quinta, Guedes nomeou o servidor de carreira da pasta Paulo Valle. Hoje, ele atua como subsecretário de Previdência Complementar no Ministério do Trabalho e Previdência.

Esteves Colnago está no Ministério da Economia, em diferentes funções, desde o início do governo Jair Bolsonaro.

Antes, foi ministro do Planejamento do governo Michel Temer e também secretário-executivo da pasta. Com larga experiência na gestão orçamentária, está na Esplanada dos Ministérios, portanto, antes mesmo de Guedes chegar ao governo.

Atualmente, ele cuidava da articulação do Ministério da Economia com o Congresso Nacional. Com bom trânsito entre os parlamentares, Colnago sempre foi o preferido dos políticos para assumir os cargos ligados ao Orçamento da pasta, já que ele cuidava desse assunto no governo Temer.

É visto como de um bom trato e como conhecedor da área orçamentária tanto por técnicos do ministério quanto por políticos.

Esteves Colnago é servidor de carreira do Banco Central e mestre em economia pela Universidade de Brasília (UnB).

Além de Funchal, deixou o governo o secretário do Tesouro, Jeferson Bittencourt. O governo está sondando nomes para a vaga de Bittencourt. Estão cotados Bruno Grossi, que é secretário especial de Relações Governamentais da Casa Civil, e Priscilla Santana, atual responsável pela relação com os estados no Tesouro.

Bruno é economista e servidor público de carreira desde 1998. Já atuou como analista de Planejamento e Orçamento do Ministério da Economia, já foi secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República e coordenador Geral de Orçamento do Ministério da Defesa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Quase 73% dos gaúchos adultos já completaram o esquema de imunização contra covid
Dólar cai e Bolsa reduz perdas após pronunciamentos de Paulo Guedes e anúncio de novo secretário do Tesouro
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play