Sábado, 27 de novembro de 2021

Falta de insumos e custo de energia prejudicam indústria, aponta CNI

De acordo com a Sondagem Industrial, pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), 62,4% das indústrias enfrentam problemas com a falta ou com o alto custo das matérias-primas pelo quinto trimestre consecutivo.  O indicador de evolução do preço de matérias-primas registrou 73,2 pontos, resultado bem acima da linha divisória de 50 pontos.

Para o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, “a alta dos preços de uma série de insumos ainda é bastante severa e generalizada e ainda há situações de escassez, atraso ou mesmo falta de insumos. Tudo isso afeta a produção. Percebemos uma desorganização das cadeias de produção, com impacto negativo na situação financeira das empresas e no custo das indústrias, o que limita uma recuperação industrial que poderia ser melhor”, explica Azevedo.

Além disso, o alto custo de energia apareceu como um importante problema enfrentado pelas indústrias entre julho e setembro deste ano. Conforme o economista, a questão energética impacta diretamente a produção industrial e deve permanecer como ponto de atenção nos próximos meses. “O percentual de assinalações mais que dobrou entre o primeiro e o terceiro trimestres. E foi indicado por quase um quarto dos respondentes”, ressalta.

Percepção sobre condições financeiras das empresas piorou no trimestre

Devido os problemas com insumo e energia, a percepção sobre condições financeiras das empresas piorou no trimestre. O indicador de satisfação com a situação financeira da empresa caiu de 52,1 pontos no segundo trimestre para 51,7 pontos no terceiro trimestre. O indicador que mede a satisfação com o lucro operacional caiu, passando de 47,6 pontos para 47,3 pontos, com resultado abaixo da linha divisória de 50 pontos, o que indica insatisfação dos empresários com a margem de lucro.

Otimismo dos empresários industriais diminui em outubro

O otimismo dos empresários diminuiu neste mês de outubro. O índice de expectativa de demanda dos empresários industriais reduziu de 59,7 pontos em setembro para 57,1 em outubro. É o segundo mês consecutivo de queda. Já o índice de expectativa de exportações sofreu recuo de 1,1 ponto, na comparação dos meses de setembro e outubro, passando de 54,6 para 53,5 pontos. Esse é o menor valor do índice desde março de 2021.

Além das reduções de expectativas de demanda e de exportações, também houve redução na expectativa dos empresários em aumentar suas compras de matérias-primas, como também, em aumentar o número de trabalhadores.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Pesquisa da FIERGS revela que confiança do industrial recua pelo segundo mês
O Boticário entrega espaços sustentáveis em escolas públicas pelo Brasil
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play