Quinta-feira, 25 de abril de 2024

Familiares de vítimas da Boate Kiss pretendem processar a Netflix por série sobre a tragédia

Uma parte dos familiares de vítimas do incêndio na Boate Kiss, tragédia que completou 10 anos na sexta-feira (27), planeja processar a Netflix após o lançamento de “Todo Dia a Mesma Noite”, série que retrata o acontecimento. As famílias se queixam da exploração comercial da tragédia pela plataforma de streaming, “que sequer teve a sensibilidade de informá-los que uma série dramática seria produzida”.

A produção, baseada no livro de mesmo nome da jornalista Daniela Arbex, mistura realidade com ficção. No trailer da série, os atores reproduzem a cena de vários corpos dispostos no chão de um ginásio para reconhecimento pelos familiares. A produção rapidamente se tornou um dos assuntos mais falados de toda a internet brasileira e chegou ao 1° lugar do Top 10 da Netflix.

O incêndio na casa noturna matou 242 pessoas e deixou outras 636 feridas em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em janeiro de 2013.

Conforme a advogada contratada por um grupo formado por cerca de 40 famílias, Juliane Muller Korbm, “muitos pais não tiveram estrutura para entrar no ginásio com todos aqueles corpos e reconhecer os filhos, muitos nunca tiveram estrutura até hoje para ver as imagens dos corpos e essa cena é passada no trailer da série”.

“Há pais passando mal por causa da série. O mínimo que exigimos agora é que uma parte do lucro seja repassado para tratamento de sobreviventes e para a construção do memorial da Kiss. Nós não queremos nenhum dinheiro para nós”, afirmou o empresário Eriton Luiz Tonetto Lopes que perdeu uma filha de 19 anos na tragédia, a jovem Évelin Costa Lopes.

A advogada informou que será pedido à Netflix algumas “adequações de exposição, especialmente do trailer, e que a série não seja só explorada comercialmente. Precisamos tratar da responsabilidade social sobre a dor desses pais. A que custo uma plataforma de streaming pode lucrar em cima de uma tragédia como essa?”.

Ainda segundo a advogada, os familiares integrantes do grupo não solicitaram nenhum tipo de indenização à plataforma de streaming. Antes da formalização de uma representação judicial, o grupo de familiares orientado pela advogada pretende dialogar com a Netflix.

Um outro grupo que forma a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de SM (AVTSM) informou que não tem relação com o caso. Em nota, a Associação informou que estava ciente de que a produção estava sendo realizada com base nos personagens do livro “Todo dia a mesma noite: a história não contada da Boate Kiss”, de Daniela Arbex.

Nota

Confira a íntegra da nota da AVTSM:

“Perante a divulgação em inúmeros veículos da imprensa acerca de um processo contra a empresa Netflix em função da série ‘Todo o dia a mesma noite’, a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da tragédia de Santa Maria esclarece através dessa nota que estávamos sim cientes que a produção estava sendo realizada com base nos personagens do livro ‘Todo dia a mesma noite: a história não contada da Boate Kiss’, de Daniela Arbex, e sente-se representada por ela bem como pelo livro da autora”.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Deputados estaduais de todo o País apresentaram 45 projetos contra linguagem neutra de janeiro de 2020 a fevereiro de 2022
Site do PT é invadido por hackers, que publicam imagem de ex-ator pornô
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play