Domingo, 25 de fevereiro de 2024

Fumaça em Nova York provoca cancelamento de exibição de peças na Broadway

A crise no ar de Nova York afetou a vida cultural da cidade nos últimos dias. Coberta de fumaça em razão de incêndios florestais no Canadá, a cidade registrou a pior qualidade do ar no mundo nos últimos dias.

No meio da semana, duas peças da Broadway tiveram suas apresentações canceladas, incluindo o mega hit “Hamilton”. A outra foi o musical “Camelot”. Nos dois casos, as produções decidiram suspender as apresentações após atores do elenco ligarem para o teatro informando estarem com crises respiratórias. Uma montagem de “Hamlet”, que seria apresentada no Central Park, também foi cancelada.

Indicada ao Tony de melhor atriz, Jodie Comer, conhecida pelo trabalho em “Killing Eve”, não conseguiu completar sua performance no monólogo “Prima Facie”, em cartaz na Broadway. Ela deixou a peça sem conseguir respirar após 10 minutos de apresentação. Ela foi socorrida e a peça continuou com a atriz substituta Dani Arlington.

Difícil de respirar

Uma brasileira que está em Nova York relatou sobre a nuvem de fumaça vinda da queima de árvores do Canadá e que atingiu os Estados Unidos nesta semana. A jornalista Thaís Lima, que mora há cinco meses na região do Brooklyn, contou que as ruas estão com cheiro de queimado e que está difícil de respirar.

“O pior momento foi na quarta-feira, quando o céu ficou laranja. Estava muito difícil de respirar e com uma sensação de abafamento”, disse a jornalista.

As cidades da região foram cobertas pela névoa alaranjada na quarta-feira (7). Escolas cancelaram atividades ao ar livre, voos foram interrompidos e milhões de americanos permaneceram em ambientes fechados.

Segundo a agência Associated Press, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, disse que conversou com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na quarta-feira para agradecê-lo pelo “apoio crítico” no combate às chamas.

Fumaça na Noruega

A fumaça dos incêndios que assolam o Canadá chegou à Noruega nesta semana, a milhares de quilômetros do foco de fogo, informou o Instituto Norueguês de Pesquisa Climática e Ambiental (NILU). Concentrações “muito baixas” de partículas de fumaça foram registradas desde segunda-feira, especialmente na estação de Birkenes, no sul do país, disse à o pesquisador Nikolaos Evangeliou.

Os números variam em função da intensidade dos incêndios, da orientação dos ventos e das precipitações. “Não vemos um pico sério ou um grande aumento… Não vemos um problema ambiental (na Noruega) ou um sério risco à saúde”, acrescentou.

No Canadá, as autoridades consideram que o número de hectares queimados nesta época do ano é totalmente excepcional. O país registra atualmente cerca de 2.300 incêndios florestais e cerca de 3,8 milhões de hectares queimaram, um número bem acima da média das últimas décadas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Ucrânia diz ter escuta que prova que russos destruíram barragem de Nova Kakhovka
“Difícil de respirar e uma sensação de abafamento”, diz brasileira sobre nuvem de fumaça em Nova York
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play