Sábado, 24 de fevereiro de 2024

General Braga Netto afirma que Bolsonaro “deve voltar logo” ao Planalto, mas não diz quando

O ex-ministro da Defesa Walter Braga Netto afirmou que o presidente Jair Bolsonaro deve voltar a despachar em breve no Palácio do Planalto. Vice de Bolsonaro na disputa pela reeeleição, o general diz que o atua chefe do Executivo está recuperado de uma infecção na perna. O presidente está há duas semanas sem deixar a residência oficial.

“Ele deve voltar logo. Ele já se recuperou da infecção. Está tudo bem”, disse Braga Netto.

Questionado se há uma data específica para o retorno de Bolsonaro ao Planalto, Braga Netto disse que “não”. Entretanto, auxiliares da Presidência disseram ao Globo, em caráter reservado, que a previsão é que ele volte a despachar na sede do Executivo na próxima segunda-feira (21), após mais um fim de semana de repouso.

Braga Netto chegou ao Palácio da Alvorada dirigindo seu carro e ficou cerca de uma hora com Bolsonaro. Na saída, parou para cumprimentar apoiadores do presidente. Ao final, o ex-ministro mesmo puxou o grito “Brasil acima de tudo, Deus Acima de Todos”, um dos bordões de Bolsonaro.

Na quarta-feira, Bolsonaro delegou ao vice-presidente Hamilton Mourão um evento com embaixadores estrangeiros. Após a cerimônia, Mourão afirmou que o presidente não compareceu devido à ferida.

“É questão de saúde. Está com uma ferida na perna, uma erisipela. Não pode vestir calça, como é que ele vai vir para cá de bermuda?”, afirmou.

Desde o resultado da eleição, no dia 30 de outubro, quando Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi eleito, Bolsonaro só esteve no Planalto duas vezes. Ele ainda foi uma vez ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No Alvorada, o presidente tem recebido alguns ministros, assessores e políticos aliados. Nesse período, o chefe do Executivo fez apenas duas declarações públicas — um pronunciamento e um vídeo publicado em redes sociais — e deixou de fazer as suas tradicionais transmissões ao vivo semanais.

Retiro espiritual

Em entrevista recente, o senador eleito e atual vice-presidente, Hamilton Mourão relembrou que será a primeira vez que Bolsonaro não tem um mandato desde 1989. Para ele, Bolsonaro precisa lembrar que a direita tem um “capital político de 58 milhões de pessoas” – número de eleitores que votaram no presidente Jair Bolsonaro no segundo turno.

“O presidente Bolsonaro, quando emergir do retiro espiritual dele, vai compreender que ganhou esse capital. Acho que ele tem que se posicionar no espectro político, trabalhar politicamente. Vai ser a primeira vez desde 1989 que ele não tem mandato. São 33 anos, é uma vida. É ele entender que agora ele terá uma posição dentro do PL, de presidente de honra. Ou seja, aqui em Brasília, articulando, tem todo o capital para voltar muito bem em 2026”, disse.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de |

França apoia proposta de Lula para sediar a Conferência do Clima na Amazônia
Massacre do Carandiru: Ministro Barroso finaliza processo e policiais já podem ser presos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play