Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Lula rejeita nome de Magda Chambriard para o comando da Petrobras

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) indicou a aliados que não está considerando o nome de Magda Chambriard, ex-diretora-geral da Petrobras, para substituir Jean Paul Prates no comando da estatal de petróleo. O nome de Magda foi ventilado por setores do governo que foram contemporâneos dela durante seu mandato à frente Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Consultado sobre o nome, Lula não se empolgou.

Magda é conhecida por ter sido diretora-geral da ANP durante a gestão da presidente Dilma Rousseff. Com mais de 30 anos de experiência na área de petróleo, ela ingressou na Petrobras em 1980.

O candidato mais cotado para substituir Jean Paul, porém, continua sendo o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante. Ele, inclusive, já foi procurado por Lula e relatou a interlocutores que não pode garantir a permanência no BNDES.

Segundo o jornal Valor, a movimentação política “açodada” de Mercadante nos bastidores irritou Lula. A interlocutores, o presidente admitiu que não gostou da informação de que Mercadante teria conversado sobre a crise na Petrobras tanto com Jean Paul Prates, como com assessores da cúpula BNDES.

A crise na Petrobras escalou depois que o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e o presidente da petroleira, Jean Paul Prates, se desentenderam sobre a distribuição dos dividendos extraordinários da Petrobras. Prates defendia distribuir 50% dos recursos extraordinários aos acionistas, mas Silveira e o conselho discordaram diante de discussões sobre o fôlego da estatal para investimentos em energia limpa.

Diante desse cenário, no último domingo (7), circularam informações de que Lula havia convocado reunião para tratar de Petrobras no Palácio da Alvorada, em Brasília. Os ministros da Fazenda, Fernando Haddad; da Casa Civil, Rui Costa; e de Minas e Energia, Alexandre Silveira, foram convocados para o encontro juntamente com o ministro Paulo Pimenta, da Secom. Jean Paul Prates não foi chamado.

Haddad chegou até a antecipar a volta para Brasília para participar da reunião, marcada para 20h, mas a reunião terminou cancelada. O Valor apurou que o motivo do cancelamento foi o vazamento da reunião, que era para ser feita em caráter “reservado”, disse uma fonte próxima das discussões.

Desde a crise dos dividendos vários nomes foram ventilados para o lugar de Prates, incluindo Magda Chambriard, ex-diretora-geral da Petrobras; Miriam Belchior, ex-ministra-chefe da Casa Civil; além de Bruno Moretti, atual conselheiro da Petrobras; e Rodrigo Dubeux, secretário-executivo-adjunto do Ministério da Fazenda e candidato ao conselho de administração da companhia.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Alexandre de Moraes nega pedido do X no Brasil para isentar de ordens judiciais; escritório da empresa no País havia dito ao Supremo que não tem poder sobre o cumprimento de medidas
Elon Musk e milícias digitais: como o bilionário entrou na mira de Alexandre de Moraes
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play