Sábado, 24 de fevereiro de 2024

Lula resgata “nós contra eles”, ataca PSDB e causa mal-estar em tucanos e petistas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) resgatou a retórica do “nós contra eles” ao atacar o PSDB e afirmar que o partido “acabou”. Para petistas, a declaração – mais uma na série de polêmicas recentes – contra os adversários históricos abalou a tentativa de aproximação para construir uma base de apoio político mais ampla no embate com o presidente Jair Bolsonaro (PL). Líderes tucanos classificam a fala de Lula de agressão gratuita e inapropriada.

Após a polêmica declaração da última terça (31), Lula voltou a fazer acenos aos tucanos e disse que o País “era feliz quando a polarização era entre o PT e o PSDB”. “A transição que nós fizemos com o Fernando Henrique Cardoso foi a transição mais civilizada que este país conheceu. Você disputava uma eleição, mas você não estava em guerra. O seu adversário não era seu inimigo”, disse o ex-presidente um evento em Porto Alegre com professores.

Reservadamente, petistas e aliados afirmam que houve equívoco. No entanto, quando questionados, minimizam o impacto da declaração do ex-presidente e dizem que o diálogo entre as legendas, sobretudo com quadros históricos do PSDB, não está interditado. De acordo com tucanos, o episódio dá combustível para alas antipetistas que flertam com o bolsonarismo e agem para vetar qualquer eventual aliança com Lula.

“Um senador do PFL disse uma vez que era preciso acabar com a ‘desgraça do PT’, o Jorge Bornhausen. O PFL acabou. Agora, quem acabou foi o PSDB. O PT continua forte, continua crescendo e conseguiu construir a maior frente de esquerda já feita neste país”, afirmou Lula durante evento no Teatro da Pontifícia Universidade Católica (Tuca), em São Paulo. Rodeado de apoiadores e simpatizantes, o petista lançou o livro Querido Lula: cartas a um presidente na prisão.

A reação foi imediata. “Lula tinha de estar mais preocupado em responder à população porque a gestão do PT quase acabou com o Brasil, que foi salvo da destruição pelo impeachment de Dilma. Aliás, Dilma que ele e o PT escondem. E ele segue na hipocrisia procurando líderes tucanos”, afirmou o PSDB, em nota divulgada em redes sociais.

Após a nova declaração de Lula, os tucanos mantiveram a queixa e afirmaram, também em redes sociais que “não adianta querer reescrever a história”. “Foram anos de PT, Lula e Dilma semeando o ódio, perseguindo adversários, dividindo a sociedade e montando uma máquina de mentiras (hoje chamadas de fake news).”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Dilma absolve Alckmin do “golpe” e afaga o ex-tucano em evento em Porto Alegre
Polícia Federal compra carros blindados para reforçar segurança dos candidatos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play