Terça-feira, 25 de junho de 2024

Lula sanciona mudanças na Lei das Cotas que incluem quilombolas e reduzem renda máxima

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sancionou nesta segunda-feira (13), sem vetos, uma série de mudanças na Lei de Cotas para universidades e institutos federais de ensino superior.

A nova lei atualiza a legislação de 2012, criada para reservar vagas em instituições de ensino superior a ex-alunos da rede pública de ensino. À época, a lei instituiu outras duas subcotas: estudantes de baixa renda; e pretos, pardos, indígenas e pessoas com deficiência. A revisão da legislação estava prevista para ser realizada em 2022, mas Câmara e Senado só aprovaram o novo texto neste ano.

O texto determina, entre outros pontos: reserva de 50% das vagas de ingresso nos cursos de graduação para estudantes com renda familiar igual ou menor a um salário mínimo – R$ 1.320 (valor anterior era de um salário mínimo e meio – R$ 1.980); inclusão de quilombolas na reserva de vagas; políticas de inclusão em programas de pós-graduação de pretos, pardos, indígenas e quilombolas e pessoas com deficiência; e avaliação do programa a cada 10 anos, com ciclos anuais de monitoramento.

“Essa lei só faz a gente descobrir que, quando você governa, quanto mais você faz, mais descobre que tem coisas novas para fazer. E isso só é possível em uma sociedade democrática, que tenha condições de se organizar livremente e tenha o direito de cobrar. Porque nem sempre, aqui no Brasil, a gente teve o direito de cobrar”, declarou Lula após assinar a lei.

“Esses jovens estão demolindo um mito propagado pelas elites […] de que a chegada dos cotistas ao ensino superior faria cair a qualidade da educação […] O que aconteceu foi exatamente o contrário. A realidade é que os jovens das classes menos favorecidas são tão inteligentes quantos jovens ricos e agarram com unhas e dentes a oportunidade de mostrar a capacidade de estar onde estão”, prosseguiu.

“O que faz cair a qualidade acadêmica é o ódio que algumas pessoas deste país têm contra a democratização do conhecimento.”

Mudanças

Além da mudança na renda máxima para participação nas vagas reservadas, outros pontos do sistema de cota foram alterados. Segundo o governo, as regras já serão aplicadas na próxima edição do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que ocorrerá em janeiro de 2024 com base nas notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) realizadas neste mês.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Fim de ano deve ter maior número de vagas temporárias desde 2013 no Brasil
Expectativa de boas vendas na Black Friday anima lojistas gaúchos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play