Sexta-feira, 19 de agosto de 2022

Marcelo Serrado fala sobre síndrome do pânico: “Ninguém escolhe”

Marcelo Serrado abriu o jogo e falou sobre um assunto nem sempre fácil de ser conversado. Em entrevista ao jornal O Globo, o ator falou sobre sua relação com a síndrome do pânico, que já o colocou em situações de grande medo.

“Estou medicado até hoje. Eu sentia a mão formigando e o coração disparado. Estava num hotel fazendo um trabalho, o Eduardo Galvão tinha morrido e três dias depois tive isso. Era um cara da minha idade, aquilo detonou algo em mim. Sucumbi e falei: ‘Vou morrer’. Liguei na minha casa e ninguém atendeu, fui parar na minha sogra, que ligou para um médico”, recorda.

Ele explicou que aos poucos aprendeu a ir lidando com a doença através de remédios e meditação, mas tudo foi um processo.

“Toda vez que eu ia para um hotel, achava que ia ter a mesma coisa, detonava um gatilho, a sensação de morte. Teve um dia que estava na cama com meus filhos, tranquilo, e o coração começou a disparar. E pensei: ‘Está tudo bem, estou aqui deitado com meus filhos’. Comecei a respirar e foi melhorando. Só que até eu chegar nesse ponto. O remédio e meditação transcendental me ajudaram muito.”

O ator também destacou a importância de entrar em assuntos como este, principalmente porque muita gente passa pelo mesmo e não há um meio certo de garantir que alguém jamais passará.

“As pessoas falavam: ‘Você é um ator bem sucedido, com a família legal, salário, como tem síndrome do pânico’? Ninguém escolhe, ela vomita em cima de você. É quase uma entidade, um encosto”, finaliza.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Sandy se despede de Patrícia Kisser, madrinha de seu filho
Vitória Strada vence o Dança dos Famosos 2022
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play