Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Média móvel de casos conhecidos de covid no Brasil entra em queda após mais de 40 dias

O Brasil registrou nessa quinta-feira (10) mais 922 mortes pela covid nas últimas 24 horas, totalizando 636.111 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 874. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +85%, indicando tendência de alta nos óbitos decorrentes da doença.

O País também registrou 165.359 novos casos conhecidos da doença em 24 horas, chegando ao total de 27.125.512 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi a 146.540. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -20%, indicando tendência de queda nos casos da doença pela primeira vez após mais de 40 dias.

Casos

A média móvel de vítimas da doença atinge agora um patamar 4 vezes maior do que estava às vésperas do ataque hacker que gerou problemas nos registros em todo o Brasil, ocorrido na madrugada entre 9 e 10 de dezembro. Na época, essa média indicava 183 mortos por covid a cada dia.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados na noite dessa quinta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Estados

Apenas Goiás não está com tendência de alta. O Estado de Roraima não divulgou seus dados.

— Em alta (24 Estados e o DF): Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins e Distrito Federal.

— Em estabilidade (1): Goiás.

— Em queda: nenhum Estado.

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás.

Vale ressaltar que há Estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os números de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Já a variação percentual para calcular a tendência (alta, estabilidade ou queda) leva em conta os números não arredondados.

Vacinação

Os dados do consórcio de veículos de imprensa dessa quinta mostram que 152.012.601 pessoas estão totalmente imunizadas. Este número representa 70,76% da população total do País. A dose de reforço foi aplicada em 54.423.666 pessoas, o que corresponde a 25,33% da população.

A população com 5 anos de idade ou mais (ou seja, a população vacinável) que está parcialmente imunizada é de 83,99% e a população com 5 anos ou mais que está totalmente imunizada é de 75,95%. O reforço foi aplicado em 33,64% da população com 18 anos de idade ou mais, faixa de idade que atualmente pode receber o reforço da vacinação.

Vinte e cinco Estados e o Distrito Federal divulgaram números da vacinação de crianças entre 5 e 11 anos. Apenas o Amapá não divulgou dados de doses aplicadas em crianças até o momento. No total, 4.779.362 doses foram aplicadas em crianças, que estão parcialmente imunizadas. Este número representa 23,31% da população nessa faixa de idade que tomou a primeira dose.

Estados com maiores percentuais de totalmente imunizados (2ª dose + dose única): São Paulo (79,82%), Piauí (77,48%), Minas Gerais (74,16%), Mato Grosso do Sul (73%) e Rio Grande do Sul (72,96%).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Grêmio oficializa a rescisão antecipada de contrato com Douglas Costa
Café moído lidera inflação em 12 meses, com alta de 56%
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play