Quinta-feira, 25 de abril de 2024

“O mais importante é saber dizer não”, diz o presidente do Banco Central sobre sucessor na autarquia

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou, nesta quarta-feira (03), que o mais importante para quem suceder ele na função é “saber dizer não quando necessário”.

Ao comentar sobre o fim do mandato, que termina em 31 de dezembro deste ano, em São Paulo, Campos Neto voltou a dizer que quer fazer uma “transição suave” e “civilizada”.

Ele também defendeu que o futuro presidente seja sabatinado pelo Congresso Nacional ainda este ano, mesmo que um diretor seja presidente interino. De acordo com o banqueiro central o motivo seria o próprio funcionamento das Casas Legislativas.

“Senão você passa para o outro ano, tem problema. Meu mandato termina no dia 31 [de dezembro]. Se um diretor for presidente interino, tem que passar por sabatina também, mas não tem sabatina porque o Congresso vai estar fechado”, afirmou.

Mesmo assim, o banqueiro central destacou que o mercado já não vê com grande risco a próxima presidência e reforçou que, para um presidente de BC, “a coisa mais importante quem senta na cadeira hoje é saber dizer não quando necessário”. Ele ressaltou também a importância de explicar “para dentro e para fora” que o ciclo de política monetária que tem um “timing” diferenciado.

Campos Neto seguiu dizendo que, ao mudar os governos, há um processo de transição “que não é civilizada” e isso “é muito ruim” institucionalmente para o País. “A gente pode ter pensamentos diferentes, mas no final está todo mundo pensando o Brasil”, disse.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Jovens de 16 a 18 anos podem tirar o primeiro título de eleitor até 8 de maio
Venda de veículos novos no Brasil em março sobe 13,6% ante fevereiro
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play