Sábado, 20 de julho de 2024

“Operação Ferros-Velhos”: Porto Alegre soma apreensão recorde de fios e cabos furtados em 2023

Considerada um dos grandes desafios da prefeitura de Porto Alegre no setor de segurança pública e patrimonial, a  erradicação dos furtos de fios e cabos ainda está longe de se concretizar. Mas o combate a esse tipo de crime avança na capital gaúcha, com direito a recorde histórico: 1,1 tonelada de material recuperado ao longo em um ano.

A estatística é da Secretaria Municipal de Segurança (SMSeg) e abrange todo o período de 1º de janeiro a 31 de dezembro. Os dois maiores volumes de apreensões foram registrados nos dias 18 de abril e 29 de dezembro, com 500 e 448 quilos, respectivamente.

Na primeira ocorrência, o material foi flagrado durante abordagem a um caminhão estacionado na Zona Sul. Já a segunda envolveu a localização de um lote escondido em automóvel abandonado na rua São Carlos, bairro Floresta (Zona Norte).

Ambas as ofensivas se deram no âmbito da operação “Ferros-Velhos”, desenvolvida rotineiramente desde 2022 e que conta com a parceria de corporações como Guarda Municipal, Brigada Militar e Polícia Civil, além de órgãos como a Secretaria Municipal da Fazenda e empresas dos ramos de luz e telefonia.

Tendo entre seus principais alvos os estabelecimentos que atuam na receptação dos fios e cabos furtados, a força-tarefa foi reforçada no ano passado a operação “Sinal Vermelho”, focada na ampliação do patrulhamento nas regiões com maior incidência de retirada de material de semáforos. Juntas, as duas ofensivas resultaram em 45 prisões e na localização de seis foragidos ao longo de 2023.

“Os números são expressivos”, avalia o secretário-adjunto de Segurança de Porto Alegre, Comissário Zottis. “Atuamos diuturnamente, ao longo de todo o ano, para garantir que os ataques não prejudiquem a prestação de serviços à população.”

Qualquer cidadão pode auxiliar no combate a esse tipo de crime, informando situações suspeitas à Guarda Municipal por meio do número 153 ou pelo aplicativo “156+POA” (opção “Segurança”). A central telefônica funciona 24 horas e recebe ligações anônimas, garantindo assim o sigilo do denunciante.

Em busca de cobre

Esse tipo de problema passou a se tornar mais frequente nos últimos anos. Motivo: a valorização do cobre (presente na estrutura dos fios e cabos) no mercado informal. O auge da crise ocorreu em março do ano passado, quando 85 ocorrências foram registradas somente nos semáforos da cidade.

Não por acaso, um dos pontos visados pela força-tarefa são os estabelecimentos que atuam na receptação de material furtado (muitos funcionando inclusive durante as madrugadas), vendido por indivíduos que, em muitos casos, utilizam o dinheiro para a compra de drogas.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Últimas

Servidores do Ibama prometem suspender fiscalização ambiental
Governo gaúcho planeja investir R$ 15 bilhões por meio de parcerias público-privadas nos próximos três anos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play