Domingo, 16 de junho de 2024

Partido Liberal tem mais candidato que vaga e Bolsonaro dará palavra final

O dia a dia na sede nacional do Partido Liberal (PL) em Brasília não é de uma legenda que perdeu a eleição presidencial. Com mais de R$200 milhões em caixa, a sede do PL, onde despacham o ex-presidente Jair Bolsonaro e a ex-primeira dama Michelle, vive um entra e sai de políticos em busca de aval para suas candidaturas a prefeito no ano que vem.

Diante da fila de pretensos candidatos, uma decisão já foi tomada: a palavra final será de Bolsonaro. No Rio de Janeiro, São Paulo, Roraima, Mato Grosso e nos estados do Sul do País a decisão será negociada diretamente com o ex-presidente. A estimativa hoje é que o PL tenha três candidatos por vaga.

Queiroga

Há locais em que Bolsonaro já bateu o martelo. Em João Pessoa, ele avisou ao deputado federal Cabo Gilberto, presidente do diretório municipal, que a vaga é do ex-ministro da Saúde Marcelo Queiroga. O presidente afirma que seu ex-ministro tem mais visibilidade.

Queiroga foi ministro da saúde durante a pandemia de covid, quando o governo Bolsonaro se posicionou contra a vacina. A postura do governo na pandemia é apontada no PL como responsável pela derrota para Lula nas urnas.

Bolsonaro teve poucos votos na Paraíba nas eleições de 2022 e terminou o segundo turno com 33,38% dos votos. No entanto, na capital, conseguiu um desempenho melhor, com 49,9%. Cientes de que Lula tem vantagem no Nordeste, o PL vai tentar construir um cinturão da direita para tentar tirar votos do petista.

São Paulo

Em São Paulo, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) tem a legenda na mira para a vaga de vice em sua chapa no ano que vem. Também estaria na disputa o Republicanos, sigla do governador paulista Tarcísio de Freitas. Ambas compõem a base do prefeito na Câmara Municipal.

A chapa com o PL é considerada a mais vantajosa para o prefeito. Além de tirar o deputado federal Ricardo Salles (SP) da disputa — unindo, portanto, o campo da direita —, a composição com o partido daria ao emedebista o maior tempo de televisão da disputa eleitoral.

O maior fiador político de Nunes no PL é o presidente municipal da legenda, vereador Isac Félix, que é apadrinhado pelo deputado federal Antonio Carlos Rodrigues, um dos caciques do partido no estado. O prefeito também pretende se aproximar de Valdemar e da cúpula da legenda por meio do marqueteiro Duda Lima, com quem negocia contrato.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Câmara rejeita articulação política para salvar Dallagnol; Presidente da Casa vai dar trâmite burocrático à decisão da Justiça
Empresa aérea Latam já dá tratamento VIP para Zanin, candidato de Lula ao Supremo
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play