Domingo, 07 de agosto de 2022

Petrobras anuncia redução de quase 5% no preço da gasolina a partir desta quarta

A Petrobras anunciou que, a partir desta quarta-feira (20), o preço médio de venda de gasolina para as distribuidoras passará de R$ 4,06 para R$ 3,86 por litro, uma redução de R$ 0,20 por litro ou de 4,9%. Não haverá mudança no preço do diesel. A última redução nas refinarias ocorreu em 15 de dezembro.

Antes de a Petrobras anunciar a queda no preço, o presidente Jair Bolsonaro afirmara que a estatal ia “achar seu rumo” e que ia “começar a dar boa notícia”.

“Os caminhoneiros sofreram com aumento no combustível, foi no mundo todo. Acho que a Petrobras vai achar seu rumo agora, (com um) novo presidente. Vai começar a dar boa notícia para a gente”, disse Bolsonaro a apoiadores, no Palácio da Alvorada.

Caio Paes da Andrade, que assumiu a presidência da empresa por indicação de Bolsonaro no mês passado, é o quarto executivo à frente da Petrobras no atual governo. Neste ano, a gasolina teve três altas nas refinarias, nos dias 12 de janeiro, 11 de março e 18 de junho. Assim, mesmo com a redução anunciada nesta terça (19), a gasolina acumula um aumento de 24,9% em 2022.

A redução no preço da gasolina vendida pela Petrobras às distribuidoras nas refinarias está em linha com o esperado, segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom).

“Víamos espaço para redução, porque houve uma queda nos preços no mercado internacional. Do ponto de vista técnico, esse reajuste faz sentido”, disse o presidente da Abicom, Sérgio Araújo.

Estimativas da Abicom na noite de segunda (18) indicavam que os preços praticados pela estatal no Brasil estavam R$ 0,30 acima do mercado internacional. Nesse cenário, estava aberto o espaço para importação por empresas independentes, segundo a associação. A possibilidade de importação por outras empresas além da Petrobras se fecha quando a estatal pratica preços abaixo da paridade internacional.

Araújo explicou que a associação deve aguardar o fim do dia para recalcular a nova diferença de preços, depois do ajuste, devido à volatilidade do mercado. Segundo ele, mesmo assim, a realização de atividades de importação deve seguir viável para empresas menores.

Petróleo em queda

Apesar de Bolsonaro associar a redução do preço da gasolina à troca de comando na Petrobras, em nota, a estatal atribuiu a decisão à estabilização da cotação internacional do petróleo, que chegou a registrar queda nos últimos dias.

Segundo o comunicado da empresa, “essa redução acompanha a evolução dos preços (do petróleo) internacionais de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina, e é coerente com a prática de preços da Petrobras”.

A estatal disse ainda que “busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”.

Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição do combustível vendido nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,96, em média, para R$ 2,81 a cada litro vendido na bomba, explicou a estatal.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Fim do direito ao aborto nos EUA é especialmente cruel para meninas estupradas
Ministério da Saúde diz que vacinação contra o sarampo está abaixo da meta no Brasil
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play