Terça-feira, 17 de maio de 2022

loader

Polícia Federal deflagra operação contra entrada ilegal de vinhos argentinos no Rio Grande do Sul

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira (24) uma operação contra o descaminho de vinhos através da fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina. Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão, sendo um em Porto Alegre e oito em São Borja (Fronteira-Oeste).

Ao todo, os agentes estiveram em quatro casas, uma loja e quatro galpões de armazenamento. Nesses locais, foram recolhidas mais de 100 garrafas de vinho importados irregularmente, acondicionadas em 23 caixas de papelão.

De acordo com a corporação, o caso começou a ser investigado em outubro de 2020. Na época, uma abordagem da Brigada Militar (BM) constatou que um veículo que trafegava na região estava carregado com caixas de vinho e outros produtos.

Os dois tripulantes do carro interceptado conseguiram escapar. Posteriormente, foram identificados e acabaram sendo o alvo das ordens judiciais cumpridas pelos agentes nesta sexta-feira – até a noite desta sexta-feira, não havia informação sobre eventual prisão da dupla pela PF.

Um dos investigados seria responsável pela travessia de diversos produtos, especialmente vinhos de procedência argentina, que são descarregados em portos clandestinos na margem brasileira do rio Uruguai.

Além do comércio local, as bebidas tinham como destino grandes centros do País, sobretudo São Paulo e Rio de Janeiro. Nesses Estados, os artigos eram revendidos em sites especializados em vinhos e outros itens importados.

A estimativa, com base na análise das informações obtidas pela Polícia Federal, é de que aproximadamente 5 mil garrafas de vinho de origem ilegal vinham sendo mensalmente comercializadas por meio do esquema.

A ofensiva foi denominada “Operação Sly”, em alusão à palavra que no idioma inglês significa algo como “esperto” ou “dissimulado”, forma como agiam os envolvidos.

Descaminho é um crime de ordem tributária, baseado na sonegação de impostos que devem ser pagos quando o produto estrangeiro entra ou sai do País. É diferente da prática do contrabando, que costuma envolver produtos proibidos.

Aves silvestres

Em Passo Fundo (Região Norte), a Polícia Federal impediu a venda de sete aves das espécies Arara Azul, Arara Canindé e Papagaio. Os agentes monitoraram e abordaram um veículo estacionado em frente a um hotel onde ocorreria a transação, envolvendo pássaros acondicionados em caixas no porta-malas e no banco traseiro de um automóvel.

Um grupo de quatro pessoas que faziam a negociação foram detidas e levadas à Delegacia local da PF, após apresentar suposta documentação de regularidade dos animais. Os papais foram checados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que constatou a irregularidade.

A quadrilha foi então presa em flagrante. São três homens e uma mulher, agora indiciados por crimes contra a fauna e falsificação do selo ou sinal público. Os animais foram encaminhados ao Ibama em Porto Alegre.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de contrabando

Justiça autoriza clubes militares do Rio a aceitarem pessoas não vacinadas contra o coronavírus
Média móvel de mortes por covid tem tendência de alta pelo terceiro dia
Pode te interessar

sem nada para mostrar

Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play