Domingo, 19 de maio de 2024

Polícia Federal prende ex-deputada federal condenada por corrupção no Rio de Janeiro

A ex-deputada Almerinda Filgueiras de Carvalho foi presa pela Polícia Federal (PF) em São João de Meriti (RJ), em um desdobramento da Operação Sanguessuga, sendo acusada de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A ex-deputada federal Almerinda Filgueiras de Carvalho, de 72 anos, foi presa nessa segunda-feira (1º), pela Polícia Federal (PF) em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Nascida no Rio de Janeiro, ela foi deputada federal por dois mandatos: de 1999 a 2003 e de 2003 a 2007.

Ela estava sendo procurada por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A prisão ocorreu no gabinete da Secretaria Municipal de Assistência Social, Direitos Humanos e Igualdade Racial de São João de Meriti, onde ocupava o cargo de secretária.

O mandado de prisão preventiva decorrente de decisão condenatória foi expedido pela 7° Vara da Seção da Justiça Federal em Mato Grosso no dia 25 de março de 2024.

De acordo com informações da PF, a prisão é um desdobramento da Operação Sanguessuga, contra a “máfia das ambulâncias”, para desarticular um grupo criminoso formado por parlamentares e empresários, o qual fraudava licitações para aquisição de ambulâncias em prefeituras de, ao menos, 20 Estados brasileiros.

As investigações tiveram início em 2006 com o objetivo de desmantelar um grupo criminoso composto por parlamentares e empresários que estavam envolvidos em esquemas de fraude em licitações para aquisição de ambulâncias em prefeituras de pelo menos 20 estados brasileiros.

Ela recebeu uma sentença de 9 anos de reclusão e foi conduzida à Delegacia de Polícia Federal em Nova Iguaçu.

Após a formalização da prisão, Almerinda foi encaminhada para o sistema prisional do Estado, onde permanecerá à disposição da Justiça. Ela deve cumprir pena de nove anos de reclusão pelos crimes cometidos.

Em nota, a prefeitura de São João de Meriti disse que não tinha conhecimento da investigação sobre a ex-parlamentar. Ela assumiu o cargo de secretária de Assistência Social em 2021.

Agora, só depois da prisão e da nota emitida pela Polícia Federal, é que foi possível saber que é havia um processo em curso desde 2006 e que corria em segredo de justiça. A prefeitura informou ainda que também está acompanhando o caso.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Planos de aumento do ICMS e cortes de benefícios fiscais são alvo de protesto em frente ao Palácio Piratini
Justiça suspende pagamento de mais de R$ 580 mil a suspeito de mandar matar Marielle Franco
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play