Segunda-feira, 17 de junho de 2024

Presidente da Turquia pede solução “racional e justa” para guerra na Ucrânia

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, pediu o fim da “crise russo-ucraniana” nesta terça-feira (20), dizendo que a guerra de sete meses causou uma “onda de choque” em todo o mundo. Erdogan expressou que “a guerra nunca terá um triunfo e um processo de paz justo não terá um perdedor”, em seu discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas em Nova York.

Ele pediu ao mundo que “apoie as iniciativas pacíficas da Turquia para resolver esta disputa de uma vez por todas. Precisamos de uma saída digna desta crise. E isso só pode ser possível através de uma solução diplomática que seja racional, justa, e qual é aplicável.”

Buscando a solução

“Estamos investindo enormes esforços para garantir que a guerra seja finalizada protegendo a integridade territorial e a soberania da Ucrânia de uma vez por todas”, disse Erdogan, acrescentando: “E gostaríamos de lançar um apelo a todas as forças internacionais organizações e países do mundo para apoiar as iniciativas pacíficas da Turquia para resolver esta disputa de uma vez por todas.”

Acordo

O líder turco sublinhou a necessidade de “diplomacia na resolução dos diferendos através do diálogo” e celebrou a sua participação na negociação da Iniciativa dos Grãos do Mar Negro acordada em Istambul, “como resultado dos grandes esforços que temos investido em conjunto com o secretário-geral da ONU que conseguiu exportar grãos ucranianos através do Mar Negro, encontrando seu caminho pelo resto dos mercados globais.”

“Este é um acordo crítico que foi feito em conjunto com as Nações Unidas e esta é uma das maiores realizações das Nações Unidas nas últimas décadas”, acrescentou.

Erdogan disse que a “Convenção de Istambul prova mais uma vez que as negociações podem produzir resultados, especialmente em questões que são vitais para todas as partes envolvidas”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Ucrânia pressionará por ajudas especiais do FMI e do Banco Mundial
Presidente do Banco Mundial diz que desaceleração global pode se estender até o ano que vem
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play