Domingo, 25 de fevereiro de 2024

Prisão de Daniel Alves: veja o que já se sabe sobre o caso

A Justiça espanhola determinou a prisão preventiva e sem fiança do jogador brasileiro Daniel Alves, de 39 anos, na sexta-feira (20). Ele é acusado de ter estuprado uma mulher em uma boate em Barcelona. Veja o que já se sabe sobre o caso:

O que aconteceu?

Na madrugada do dia 30 de dezembro, a suposta vítima alegou que foi estuprada por Daniel no banheiro da boate Sutton, em Barcelona. Segundo a imprensa espanhola, a mulher relatou, em depoimento à polícia, que o jogador a impediu de sair do banheiro, a agarrou e colocou a mão dela sobre o seu pênis, a jogou no chão, ordenou que fizesse sexo oral – o que ela recusou e resistiu, – bateu na suposta vítima e a penetrou com força até ejacular.

O depoimento não foi divulgado oficialmente. Como o crime teria ocorrido no banheiro, não havia câmeras no local. Inicialmente, o lateral negou que isso tenha acontecido e disse que não conhecia a mulher. Depois, segundo a imprensa local, o jogador mudou a versão e afirmou que a relação foi consensual.

Testemunhas viram a mulher indo ao banheiro e depois chorando, após sair de lá. Quando a polícia chegou na boate, o jogador já havia ido embora. Segundo o jornal El Periódico, a polícia informou que encontrou traços de sêmen no banheiro.

Relatórios médicos apontam que a vítima tinha sinais de agressão compatíveis com estupro.

Por que Daniel foi preso?

O atleta atendeu a um pedido dos investigadores e foi voluntariamente até a delegacia em Barcelona. Depois de prestar depoimento sobre o caso, ele foi detido.

Posteriormente, foi levado até uma juíza da Catalunha, onde prestou um depoimento de 45 minutos. Após ouvi-lo, a juíza acatou o pedido de prisão preventiva sem fiança feito pela promotoria e pelos advogados da vítima.

Na decisão pela prisão, a juíza citou quatro motivos: Daniel Alves não tem endereço fixo na Espanha; o denunciado tem plenas condições financeiras de fugir; não há acordo de extradição entre a Espanha e o Brasil; há risco de obstrução de justiça por parte do jogador.

Por que Daniel estava Espanha?

No final de dezembro, quando aconteceu o suposto crime, Daniel estava em Barcelona tirando alguns dias de férias após disputar a Copa do Mundo do Catar pela Seleção Brasileira.

O jogador mora atualmente no México, mas retornou à Espanha para o velório da sua sogra, que morreu no dia 13 de janeiro. Antes de voltar ao México, ele foi até a delegacia prestar depoimento.

Onde Daniel está preso?

O jogador está preso na Penitenciária Brians 1, que fica a cerca de 30 quilômetros do Centro de Barcelona.

Até quando o jogador ficará na cadeia?

A Justiça espanhola decretou a prisão preventiva, mas não determinou um prazo para ele ser solto ou julgado. Para crimes de agressão sexual, que incluem o estupro, o Código Penal espanhol prevê pena de um a 15 anos, dependendo da gravidade do caso.

Como funciona a investigação na Espanha?

Pela legislação da Espanha, uma pessoa investigada pode ser presa durante o depoimento, caso os interrogantes entendam que há elementos que justifiquem a detenção.

No sistema espanhol, a Justiça também faz sua própria investigação sobre um caso, ainda que haja um inquérito policial.

Em paralelo, o Ministério Público pode fazer uma denúncia, como ocorreu nessa situação. Quando a denúncia chega à Justiça, um tribunal designa um magistrado chamado juiz de instrução, que fica encarregado de reunir provas de um caso para determinar se trata-se ou não de crime. Caso determine que sim, esse magistrado encaminha, então, o caso para julgamento.

Quem é a suposta vítima de estupro?

A identidade da denunciante não foi revelada. O que se sabe sobre ela é que tem 23 anos e foi para a boate com amigas. Um grupo de mexicanos as convidou para entrar na área VIP, onde estava o jogador.

O que Daniel disse sobre o caso?

Durante entrevista a um programa de TV na Espanha, o lateral alegou que estava apenas dançando, sem invadir o espaço de ninguém. Ele disse ainda não conhecer a mulher e não ter “que perguntar quem está no banheiro” quando quer usá-lo.

“Eu estive nesse lugar, e quem me conhece sabe que eu adoro dançar, mas sem invadir o espaço de ninguém, respeitando os espaços. E quando você vai ao banheiro não tem que perguntar quem está lá para usar o banheiro. Não sei quem é essa senhorita, nunca a vi. Nestes anos todos nunca invadi o espaço de ninguém sem autorização”, declarou o jogador.

Depois, os jornais El País e El Periódico afirmaram que, no depoimento à juíza que determinou sua prisão, Daniel mudou a versão e assumiu que teve uma relação sexual com a mulher, mas negou ter sido violento ou cometido agressão sexual.

Contrato com o Pumas

O clube mexicano Pumas decidiu rescindir, por justa causa, o contrato com o lateral direito. A decisão foi divulgada na sexta-feira pelo presidente do time, Leopoldo Silva.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Comandante militar do Sudeste afirma que o resultado das urnas deve ser respeitado
Operação de combate a jogos de azar apreende mais de 200 caça-níqueis no Litoral Norte gaúcho
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play