Domingo, 21 de julho de 2024

Rússia convoca embaixadora dos EUA e diz que haverá “consequências” após ataque ucraniano na Crimeia

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia convocou a embaixadora dos Estados Unidos no país, Lynne Tracy, nesta segunda-feira (24) para dizer a ela que Moscou culpa o tanto os Estados Unidos  quanto a Ucrânia por um ataque mortal com mísseis na cidade de Sebastopol, na Crimeia.

Ela enfrentou acusações de que os EUA estão “travando uma guerra híbrida contra a Rússia e, na verdade, se tornou parte do conflito”. “Tais ações de Washington não ficarão sem resposta. Definitivamente haverá medidas de resposta”, alertou o ministério russo em uma declaração.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse a repórteres sobre o ataque que “deveriam perguntar aos meus colegas na Europa, e acima de tudo em Washington, os secretários de imprensa, por que seus governos estão matando crianças russas. Basta fazer esta pergunta a eles”.

Ao menos duas crianças foram mortas no ataque a Sebastopol no domingo (23), de acordo com autoridades russas.

A Rússia disse que os Estados Unidos forneceram as armas usadas na ofensiva e que especialistas militares americanos forneceram dados para o ataque. Nem a Ucrânia, nem os Estados Unidos comentaram o caso.

Promessa de resposta

Questionado sobre qual seria a resposta russa ao ataque na Crimeia, Dmitry Peskov relembrou uma fala do presidente Vladimir Putin, em 6 de junho, sobre o fornecimento de armas convencionais para regiões próximas aos Estados Unidos e seus aliados.

“É claro que o envolvimento dos Estados Unidos na luta, como resultado da qual russos pacíficos estão morrendo, não pode deixar de ter consequências”, comentou Peskov.

“Quais [respostas serão tomadas ] exatamente — o tempo dirá”, concluiu.

Cinco mísseis

A Rússia disse nesse domingo (23) que a Ucrânia realizou um ataque na península da Crimeia com cinco mísseis fornecidos pelos Estados Unidos. A ação matou ao menos cinco pessoas, incluindo três crianças, e feriram mais 124, ainda segundo autoridades russas.

O Ministério da Defesa russo afirmou que quatro dos mísseis do tipo Sistema de Mísseis Táticos do Exército (ATACMS) entregues pelos EUA, equipados com ogivas de fragmentação, foram abatidos por sistemas de defesa aérea e a munição de um quinto projétil detonou no ar.

A pasta alegou que especialistas dos EUA definiram as coordenadas de voo dos mísseis com base em informações de satélites espiões americanos, o que significa que o país diretamente responsável no ataque.

“A responsabilidade pelo ataque deliberado de mísseis aos civis de Sebastopol recai acima de tudo em Washington, que forneceu essas armas à Ucrânia, e pelo regime de Kiev, de cujo território esse ataque foi realizado”, disse o ministério.

Os Estados Unidos começaram a fornecer à Ucrânia mísseis ATACMS, que têm alcance de até 300 km, no início deste ano. Imagens da televisão estatal russa mostraram pessoas correndo em uma praia e outras sendo carregadas em espreguiçadeiras.

Autoridades russas instaladas na Crimeia disseram que fragmentos de mísseis caíram logo após o meio-dia perto de uma praia no lado norte da cidade de Sebastopol, onde os moradores estavam de férias.

Pelo menos 124 ficaram feridos, destacou o ministro da Saúde russo, Mikhail Murashko. Isso inclui 27 crianças, cinco das quais estão em estado grave, ainda de acordo com as autoridades.

A Rússia anexou a Crimeia em 2014 e agora vê a península do Mar Negro como parte integrante de seu território, embora a maior parte do mundo ainda a considere parte da Ucrânia. As informações são da CNN.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

No último minuto, Itália empata com a Croácia e se classifica para a próxima fase da Eurocopa
Líder de facção envolvida em ameaça a juiz e promotor é alvo de operação em presídio gaúcho
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play