Domingo, 16 de junho de 2024

Situação de brasileiros está resolvida, mas conflito é gravíssimo e Lula quer pausa humanitária, diz o ministro das Relações Exteriores

O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, afirmou que a situação dos brasileiros que deixaram a Faixa de Gaza neste domingo (12) está momentaneamente resolvida, mas que o conflito é gravíssimo e que o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), continuará empenhado em sua solução.

O grupo de 32 brasileiros começou a se deslocar na manhã deste domingo (12) e no início da tarde embarcou em veículos fretados pela Embaixada Brasileira no Egito rumo à capital Cairo, em uma viagem de cerca de seis horas. A previsão é de que esse trajeto seja concluído por volta das 20h, no horário local (15h, de Brasília).

O grupo deve ficar na capital egípcia até a manhã desta segunda, no horário local, para o voo de retorno ao Brasil na aeronave presidencial VC-2 (Embraer 190). A previsão é que os brasileiros desembarquem em Brasília por volta das 23h30.

“A situação desses brasileiros está momentaneamente, está agora, resolvida, mas a situação do conflito é gravíssima e o presidente lula continua muito envolvido na solução da questão. Tem falado frequentemente com muitos chefes de Estado, e com o secretário-geral da ONU, com os chefes de Estado da região, do Egito, de Israel e também do Qatar”, afirmou.

Conselho de Segurança

Vieira disse ainda que Lula pretende tratar sobre o tema no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Em outubro, o colegiado rejeitou um texto proposto pelo Brasil sobre a guerra entre Hamas e Israel por conta de um veto dos Estados Unidos.

“É sua intenção [do presidente Lula] voltar a tratar nesse momento da questão no conselho de segurança das Nações Unidas a partir dessa semana para que se possa encontrar uma forma de suspensão dessa hostilidade, cessação das hostilidades, e a criação de uma pausa humanitária que possa levar ao alivio da população civil palestina que se encontra ainda em Gaza”, disse o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira.

O Brasil presidiu o Conselho de Segurança da ONU no mês de outubro, enquanto integrante temporário. O grupo se reuniu para buscar uma resolução à guerra, mas não houve consenso e a proposta apresentada pelo Brasil não foi aprovada. Neste mês de novembro, o grupo está sob a liderança da China.

O ministro afirmou também que Lula manifestou o desejo de receber o grupo de brasileiros que deixou a Faixa de Gaza nesta segunda-feira (13), de noite, quando está prevista a chegada do voo a Brasília. “Não vejo nenhuma dificuldade nisso, ele tem interesse”, declarou.

Ainda, de acordo com o chanceler brasileiro, houve boa vontade dos governos de Israel e do Egito na retirada dos brasileiros da região.

“Se não aconteceu antes, não foi só com o Brasil, foram com todos outros países. Havia uma lista de países e nacionais que estavam prontos, esperando pela partida, alguns países tinham 500, 600 nacionais. Nossa lista era menor. Entraram em uma ordem de prioridade que foi seguida e atendida. Mas saímos, acredito que talvez tenha sido o oitavo ou décimo dia de passagem dos civis, dentro do que foi negociado e acordado com os lados envolvidos”, acrescentou.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Em boletim de ocorrência, Ana Hickmann diz ter sido agredida e ameaçada pelo marido, que admite discussão, mas nega agressão
Câmara dos Deputados gastou quase R$ 13 mil com ida de bolsonaristas a Argentina para apoiar Javier Milei, candidato da extrema-direita
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play