Sexta-feira, 19 de julho de 2024

Tribunal Superior Eleitoral analisa possível crime eleitoral da deputada Carla Zambelli

Em um relatório reservado produzido a pedido do gabinete presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, a Corte analisa a possibilidade de a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) ter cometido um crime eleitoral neste sábado (29) por portar arma de fogo em local público na véspera da eleição e tumultuar o processo eleitoral.

O documento do setor de inteligência foi obtido pelo Estadão. Na introdução, consta que sua confecção se deu a partir de pedido do juiz Marco Antônio Martin Vargas, auxiliar do gabinete da presidência do TSE, exercida pelo ministro Alexandre de Moraes. Em agosto de 2022, o juiz, que é oriundo da Justiça Estadual de São Paulo, foi nomeado por Moraes em seu gabinete.

O texto é assinado por Eduardo Tagliaferro, assessor do Gabinete da Assessoria Especial de Desinformação do Núcleo de Inteligência do TSE. Ao longo do documento, Tagliaferro expõe diversas partes do vídeo que circula nas redes sociais em que Zambelli aparece empunhando uma arma e mirando em Luan Araújo, homem a quem a deputada acusa de tê-la ameaçado e agredido.

“Encaminhamos para análise com base na prática (de) crime eleitorais, porte ilegal de arma, desrespeito a resolução 23.708/2022 e tentativa de tumultuar o processo eleitoral”, afirma Tagliaferro, no despacho. Às 19h49min deste sábado, Tagliaferro encaminhou o relatório para o gabinete de Moraes, segundo os documentos.

O assessor ainda afirma que, “no vídeo analisado, é possível notar que Carla Zambelli está em envolvida em uma discussão, onde foi verificada (análise do vídeo) que após discussão, sai em perseguição a uma pessoa, em certo momento, retira de sua cintura, uma arma, aparentemente uma pistola e vai em direção a um bar/restaurante, lotado de populares, sempre com uma arma em mãos, apontada para pessoas”.

O caso

Vídeos divulgados em redes sociais na tarde deste sábado mostram a deputada Carla Zambelli com arma em punho nos Jardins, bairro de classe alta de São Paulo. Zambelli alega ter sido agredida por Luan Araújo, de 32 anos. Reeleita, a segunda deputada mais votada de São Paulo recebeu 946.244 votos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Eleições 22

Uso de celular na cabine de votação continua proibido no segundo turno das eleições
Bolsonaro chega para votar na Vila Militar, na Zona Oeste do Rio de Janeiro
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play