As Bases Móveis Comunitárias da Brigada Militar completaram 30 dias de atuação no litoral gaúcho

As BMC (Bases Móveis Comunitárias) da Brigada Militar completaram 30 dias de atuação junto a sete locais na 49ª Operação Golfinho. Instaladas em Torres, Capão da Canoa, Xangri-lá, Tramandaí, Cidreira, São Lourenço do Sul e Cassino, desde 28 de dezembro, reforçam as ações de presença da Brigada Militar como uma referência institucional nos balneários.

Nesse período, os policiais militares ali empregados visitaram 99 instituições, participaram de 66 eventos, visitaram 1.077 estabelecimentos comerciais e 466 residências. Ainda, orientaram 5.164 pessoas e distribuíram 7.636 pulseiras de identificação.

De acordo com o coordenador das BMC, capitão Wagner Carvalho, os resultados positivos que já foram alcançados se devem a uma série de fatores, mas, principalmente, “ao apoio do Comando da BM às ações que envolvem a filosofia de Polícia Comunitária, à seleção e qualificação do efetivo, além da característica de proatividade dos policiais militares que atuam nas BMC”, destacou o oficial.

Papel das BMC

“Ter ali, perto da orla ou no trajeto até ela, essa presença e apoio imediatos da Brigada Militar, seja para socorrer vítimas de uma queimadura de água-viva, ou auxiliar na localização de crianças perdidas, ou atuar junto ao comércio das imediações, tudo isso tem feito uma diferença enorme na percepção das pessoas a respeito da polícia e seu papel”, acrescentou o capitão Carvalho.

Esses pontos também foram destacados pelo comerciante Leandro Messagi, proprietário do restaurante Central, que fica em Capão da Canoa. “Essas ações dos PMs da Brigada Militar trazem tranquilidade pra nós comerciantes, aos veranistas e moradores. Todos ganham com a presença da BM”, relatou Messagi.

Além do policiamento na própria Base, os policiais também têm utilizado bicicleta em rondas das imediações, o que permite a atuação em uma área muito maior. As estruturas permanecem no Litoral até o final da temporada.

Criminalidade

Em mais de um mês de atividade, a 49ª Operação Golfinho teve resultados positivos. Os indicadores de criminalidade que foram reduzidos. Os roubos a pedestre, que são ações criminosas envolvendo subtração de algo mediante violência ou grave ameaça, tiveram uma redução de 44%.

Os roubos de veículos também tiveram diminuição, se comparados à Operação feita no final de 2017 e início de 2018. Houve uma redução de 32% nas ocorrências, que no ano passado chegaram a 44 e, no período atual, diminuíram para 30.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *