Porto Alegre é destaque nacional por reduzir as mortes no trânsito

A redução de vítimas fatais na circulação de Porto Alegre, e da violência em geral na mobilidade da cidade, resultou em homenagem à prefeitura da Capital na manhã desta quinta-feira (6), durante lançamento do Programa Rodovida, da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Porto Alegre alcançou indicativos positivos de acordo com a meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Década de Ação pela Segurança no Trânsito (2011 a 2020), que projetou uma diminuição de 50% em mortes. O destaque à gestão por um trânsito mais seguro na capital gaúcha aconteceu em evento na sede da PRF, em Brasília. O diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti, esteve presente na solenidade, acompanhado pela técnica da SMS, Karla Livi, que integra o Programa Vida no Trânsito. Este programa é desenvolvido pela Secretaria Municipal da Mobilidade Urbana (Smim), por meio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

A Operação Rodovida é uma ação do Governo Federal, comandada pelo Ministério da Justiça, por meio da PRF, com apoio da Presidência da República, Casa Civil e dos Ministérios das Cidades, Saúde e Transportes. O principal objetivo da operação é reduzir a quantidade de acidentes graves nas rodovias federais e nos demais trechos críticos próximos a essas rodovias, sejam elas estaduais ou municipais, pois existe a integração com outros órgãos. Ações de fiscalização são reforçadas durante as festas de fim de ano.

A gradativa diminuição da acidentalidade no trânsito de Porto Alegre, principalmente em casos que resultam em acidentes fatais, possibilita que a capital gaúcha alcance a meta da Década de Ação da ONU – 76 vidas perdidas no trânsito em um ano, estabelecida para 2020 – dois anos antes do previsto. Os recentes dados divulgados pela Coordenação de Informações de Trânsito (CIT) da EPTC, de janeiro a novembro, apontam o registro do menor número de mortes dos últimos 20 anos para o período. Em 2017, oitenta e três pessoas perderam a vida desde janeiro; em 2018, até o final de novembro, foram 68, uma redução de 18%.

Referência 

Marcelo Soletti, diretor-presidente da EPTC, destacou no evento a importância do reconhecimento ao trabalho pela segurança na mobilidade: “Este destaque a nível nacional acontece porque Porto Alegre é, hoje, referência positiva no país no trabalho permanente pela redução da violência no trânsito, em salvar vidas. O Programa Vida no Trânsito tem sido fundamental nesta missão, de reduzir as mortes e feridos graves decorrentes de acidentes de trânsito nas nossas vias urbanas. São grandes as possibilidades de atingirmos a meta da ONU ainda em 2018, dois anos antes do prazo estimulado pela entidade. Cada vida salva demonstra que estamos no caminho certo”.

Mais de um milhão de pessoas morrem nas ruas e estradas do mundo a cada ano. No Brasil, as estatísticas indicam cerca de 50 mil mortos anuais. “Milhões de pessoas ficam feridas, a maioria de forma permanente. É de essencial importância para a saúde pública a redução de mortos e feridos no trânsito” destaca a técnica da SMS Karla LIvi.

Caminhos 

Para reduzir a acidentalidade, Porto Alegre tem apostado em ações de educação, fiscalização e infraestrutura. Todas as atividades são baseadas nos índices de acidentalidade. Locais, público (pedestres, idosos, motociclistas) e infrações mais cometidas são considerados balizadores e alertas para agir em áreas e comunidades que estão sofrendo mais acidentes e mortes. Neste contexto, a EPTC entende que a educação é um dos pilares da mobilidade urbana e assim trata do assunto, interna e externamente. Só em 2018, já foram realizadas 451 ações, com engajamento de mais de 42 mil pessoas. O principal objetivo é transformar cada uma delas em um multiplicador para um trânsito seguro.

Transparência 

Em 2017, a prefeitura, pela EPTC, criou o Programa “Um Dia de Agente”, que mobilizou 122 lideranças até o final de novembro no acompanhamento dos agentes em rondas pela cidade. A iniciativa possibilita uma maior aproximação de representantes da sociedade com o órgão gestor da mobilidade na capital, com tomada de conhecimento dos serviços prestados, principalmente em relação ao trabalho da equipe de fiscalização. Entre as lideranças, motivados para se tornarem também multiplicadores pelo trânsito seguro, participaram jornalistas, empresários, políticos, professores, técnicos em trânsito e transporte, além de estudantes, esportistas, motoristas profissionais, representantes de associações de bairros, funcionários públicos, profissionais liberais, e outros representantes dos mais diversos segmentos da sociedade. A EPTC também divulga no portal eptctransparente.com.br informações sobre as atividades da empresa.

Dados

O mês de novembro encerrou com menos 16% em acidentes (1.087 a 909) na comparação com o mesmo período de 2017; além de menos 21% em feridos (492 a 386) e menos 28% em vítimas fatais (7 a 5). Nos 11 primeiros meses deste ano, na comparação com o mesmo período de 2017, houve uma redução de 6% em acidentes (11.591 a 10.847), menos 9% em feridos (4.978 a 4.494) e menos 18% em vítimas fatais (83 a 68).



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *