Santa Casa comemora 215 anos

Nesta sexta-feira (19), a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre completa 215 anos de sua fundação. O hospital mais antigo do Rio Grande do Sul realiza mais de seis milhões de procedimentos em saúde por ano, sendo mais de 60% deste volume direcionado a usuários do Sistema Único de Saúde, conforme a legislação da filantropia. Manter-se fiel a sua missão de origem, que é proporcionar ações de saúde a pessoas de todas as classes sociais, é um dos desafios diários da Santa Casa, que precisa contar com recursos advindos do fruto do atendimento de pacientes de convênios e particulares e de atividades acessórias, para cobrir o déficit que os atendimentos ao SUS geram a cada ano. Somente no ano passado, esta conta ficou em R$ 145 milhões e, neste ano, já são mais de R$ 100 milhões de déficit. Apesar das dificuldades, no ano passado a instituição cobriu o déficit através do fruto do seu próprio trabalho.

Centro Internacional de Arritmias. (Crédito: Rogerio Brandão)

A Santa Casa é um dos mais modernos complexos hospitalares do país, sendo referência brasileira pela qualidade e segurança de sua Medicina, pelo humanismo de sua assistência, pela excelência de seus profissionais e pela modernidade de seus processos e equipamentos. É integrada por nove hospitais: Hospital Santa Clara (geral de adultos e materno-infantil), Hospital São Francisco (cardiologia), Hospital São José (neurologia e neurocirurgia), Hospital da Criança Santo Antônio (pediatria), Pavilhão Pereira Filho (pneumologia), Hospital Santa Rita (oncologia), Hospital Dom Vicente Scherer (transplantes) – localizados no quarteirão do Centro Histórico de Porto Alegre -, Hospital Dom João Becker – em Gravataí, incorporado à Santa Casa em agosto deste ano – e Hospital de Santo Antônio da Patrulha, sob gestão da Santa Casa desde 2017.

Casa de Apoio Madre Ana, dois anos da realização de um sonho

Casa de Apoio Madre Ana. (Crédito: divulgação)

Em maio, a Santa Casa celebrou o segundo ano de funcionamento da Casa de Apoio Madre Ana. O espaço proporciona acolhimento e convivência para pacientes da Santa Casa e seus familiares, oriundos de outras cidades e estados. Desde a sua inauguração, a casa já recebeu mais de 1.700 pessoas, sendo 60% provenientes de fora do Rio Grande do Sul. Santa Catarina e Paraíba são os estados com maior representatividade na Casa. Em sua maioria, são crianças com doenças do coração, com necessidade de transplante ou com câncer. A Casa de Apoio Madre Ana oferece, sem custos, hospedagem, cinco refeições diárias, material de higiene pessoal, roupas de cama e banho, além de acompanhamento social e conforto espiritual. O custeio para o seu funcionamento depende exclusivamente de doações de empresas e pessoas físicas. São 30 vagas disponíveis até o momento, porém, conforme o apoio da sociedade aumentar, este número poderá ser ampliado, além de promover melhorias nos espaços de convivência da Casa.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *