Servidores do judiciário gaúcho protestam no Centro de Porto Alegre

Os trabalhadores do Judiciário gaúcho protestaram nesta terça-feira (08), em Porto Alegre. Os servidores estão em greve há mais de duas semanas e pedem aumento salarial, revisão nos valores do vale-alimentação e também ajuste no ressarcimento dado aos oficiais de justiça por despesas de condução.

Em Porto Alegre, o protesto reuniu mais de mil servidores estaduais. Os manifestantes vieram de várias cidades do Rio Grande do Sul. Pela manhã, o grupo se concentrou em frente ao Tribunal de Justiça gaúcho, na avenida Borges de Medeiros, no Centro de Porto Alegre. O objetivo era realizar uma assembleia para decidir os próximos passos da manifestação.

A greve dos trabalhadores do judiciário gaúcho iniciou no dia 24 de setembro. De lá para cá, mais de 80% das comarcas do RS aderiram. De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores da Justiça do Rio Grande do Sul (Sindjus), Fabiano Salazar, o objetivo é “acordar” a administração do TJ. “É a luta pela valorização do servidor da Justiça, em especial contra a extinção do cargo de oficial de escrevente, que é o principal cargo do Poder Judiciário hoje. Queremos uma solução alternativa apresentada pelo TJ para essas demandas”, explicou.

Nesta terça-feira, a categoria entregou um ofício para o presidente do TJ, desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro. O documento foi encaminhado pelo Sindjus. “Reiteramos a necessidade de que a gente tenha um diálogo profícuo. Que nós consigamos avançar numa mesa de negociação e que consiga atender minimamente as pautas dos servidores que encejaram essa greve”, disse Fabiano.

No final da manhã, os manifestantes montaram um acampamento na Praça da Matriz, em frente ao Palácio Piratini, no Centro de Porto Alegre. A paralisação segue por tempo indeterminado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *