Quinta-feira, 25 de abril de 2024

A repercussão nas redes sociais do racismo sofrido por Vini Júnior

As redes sociais reagiram ao episódio de racismo sofrido por Vinícius Júnior, em Madrid (Espanha), na última quinta-feira (26). Um levantamento inédito da Voz Radar, sob encomenda da startup O Pauteiro, contabilizou 81 mil conteúdos entre as 9h de quinta e as 9h de sexta (27), apenas no Twitter, e no Brasil. Ao todo, esses conteúdos geraram cerca de 700 mil interações na rede.

O primeiro pico de manifestações envolvendo o nome do atacante ocorreu entre 10h e 11h da quinta, quando começaram a circular na rede imagens do boneco em uma ponte perto do Centro de Treinamento do Real Madrid. Termos como ‘racismo’, ‘enforcamento’, ‘perseguição’ e ‘boneco’ figuraram entre os mais presentes nas publicações sobre o jogador.

A reação mais forte, porém, ocorreu entre 19h e 20h, com mais de 30 mil conteúdos, celebrando o gol marcado pelo brasileiro contra o Atlético de Madrid, na vitória de 3 a 1. Os termos ‘gol’ e ‘racistas’ foram os mais utilizados nessa faixa de horário, sinalizando a “resposta” de Vini diante do ocorrido.

Trending topics

O termo Vini começou a aparecer entre os mais relevantes do Twitter às 9h, seguindo entre eles ininterruptamente até 22h. ‘Racismo’, ‘racistas’ e ‘Fogo nos racistas’ também estiveram nos trending topics em boa parte da quinta, com mais de 60 mil ocorrências (entre posts e compartilhamentos).

Caso

Horas antes do clássico com o Real Madrid pelas pelas quartas de final da Copa do Rei, a torcida do Atlético de Madrid pendurou em um viaduto um boneco com a camisa do jogador brasileiro pelo pescoço, simulando um enforcamento. Além de uma faixa com a frase “Madrid odeia o Real”.

No último clássico disputado entre os clubes, Vini Jr já havia sido alvo de cantos racistas por parte da torcida do Atlético dentro do estádio. Na ocasião, o brasileiro estava no centro de uma polêmica por conta de suas danças em comemorações de gols.

Por meio de nota, o Atlético de Madrid repudiou a manifestação feita por seus torcedores. Em comunicado, o clube merengue também se posicionou e condenou o “ato de ódio”.

O episódio fez com que diversos atletas demonstraram seu apoio ao brasileiro. Entre jogadores de futebol, houve uma adesão maciça de apoio ao atacante. Manifestaram-se nomes de peso como os de Benzema, Luka Modric, Neymar e Richarlison.

Dos que já vestiram a camisa da Seleção Brasileira, as postagens em redes sociais foram em bom número. Além da dupla citada acima, levaram uma palavra ou gesto de carinho a Vini alguns de seus colegas que disputaram a Copa do Catar, como Éder Militão e Lucas Paquetá.

Com mais de 5 milhões de seguidores no Twitter, Vini Jr. resolveu rebater a violência sofrida com um pedido de tolerância e fraternidade e um recado para quem cultua o racismo: “O amor vencerá o ódio”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Petistas, bolsonaristas e mulher de Sergio Moro se unem em jantar pró-Arthur Lira
Reeleição do presidente da Câmara dos Deputados deve unir o PT de Lula e o PL de Bolsonaro
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play