Quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Acusado de estupro, Donald Trump confunde suposta vítima com ex-mulher

O ex-presidente americano Donald Trump confundiu sua ex-mulher Marla Maples com a escritora E. Jean Carroll, que o processa por estupro, em uma foto durante depoimento dado à Justiça em outubro do ano passado. Nas transcrições recém reveladas, Trump via uma foto em preto e branco em que interagia com diversas pessoas, inclusive com sua então esposa Ivana, Carroll e o então marido da escritora.

“Não sei quem… é Marla”, afirmou Trump ao ver a foto. “Essa é Marla, sim. Essa é minha esposa”, acrescentou, quando solicitado a explicar a frase.

O republicano foi casado com Marla Maples, mãe de sua filha Tiffany, entre 1993 a 1999. Um ano antes do fim do casamento, Trump começou a namorar com sua atual esposa, Melania Trump.

No mesmo instante, segundo a transcrição, a advogada do ex-presidente, Alina Habba, interveio e disse que aquela que Trump achava ser sua ex-esposa era, na verdade, Carroll. A escritora, que agora tem 79 anos, processou Trump pela primeira vez em 2019 por difamação depois que ele negou a acusação de agressão sexual e disse que não a conhecia.

Na época, ele afirmou em uma entrevista ao “The Hill” que Carroll não era o tipo dele e que ela inventou a história para promover “um livro realmente ruim”. Em novembro de 2022, a escritora processou novamente Trump sob a Lei de Sobreviventes Adultos, uma legislação de Nova York que permite que supostas vítimas de agressão sexual apresentem casos dentro de um prazo definido.

Ela afirmou que o republicano a estuprou em meados da década de 1990 no vestiário de uma loja de departamento. Nas transcrições do depoimento, Trump negou as acusações e acrescentou que nunca pressionou nenhuma mulher a fazer sexo com ele.

“Ela disse que eu fiz algo com ela que nunca aconteceu. Não havia nada. Não sei nada sobre essa maluca”, testemunhou.

Ele ainda reiterou comentários anteriores de que Carroll não o atraia, uma afirmação que pode ser questionada depois que ele confundiu sua ex-esposa com a escritora. Embora seu comentário não fosse “politicamente correto”, o republicano afirmou que não era para ser um insulto, mas sim uma maneira de se defender.

O republicano também disse ao advogado de Carroll que iria “processá-la depois que isso acabar” e ainda acrescentou que processaria o profissional. Trump também chamou a escritora de “doente mental” e alegou falsamente que ela tinha dito que gostava de “agressão sexual”. No momento, o republicano se referia a uma entrevista que Carroll deu à CNN em 2019 na qual ela explicou que não gostava de usar a palavra “estupro” pois tinha algumas pessoas que pensam que “estupro é sexy”.

Trump já foi acusado de agressão, ou assédio sexual, por mais de uma dúzia de mulheres, incluindo a ex-modelo Amy Dorris, que revelou ter sido agredida sexualmente pelo republicano durante o torneio de tênis US Open em 1997.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Extremista preso em Brasília pesquisou por “dinamite” na Shopee
Saiba por que o Supremo pisou no freio em relação à prisão de Bolsonaro
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play