Sábado, 02 de março de 2024

Advogados de Donald Trump pedem demissão após ex-presidente virar réu pela segunda vez

Dois advogados que representam o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump se demitiram nessa sexta-feira (9) do cargo. A demissão ocorre horas depois de Trump ser acusado formalmente e virar réu por suposta retenção ilegal de documentos confidenciais da Casa Branca, em sua residência de Mar-a-Lago, na Flórida, além de obstrução de Justiça e outros crimes.

“Esta manhã, apresentamos nossas renúncias como advogados do presidente Trump e não o representaremos mais no caso indiciado ou na investigação de 6 de janeiro”, afirmam os advogados Jim Trusty e John Rowley, em declaração conjunta. No comunicado, Trusty e Rowley não divulgaram os motivos de terem deixado o cargo.

Pelas redes sociais, Trump disse que será representando pelo advogado Todd Blanche. Na terça-feira 13), o ex-presidente norte-americano deve comparecer a um tribunal federal em Miami para ouvir formalmente de um juiz que virou réu no caso e as sete acusações contra ele.

Também nessa sexta-feira, a juíza Aileen Cannon foi designada para conduzir o processo contra Trump por suposta apropriação de documentos secretos oficiais. A notícia chamou a atenção nos Estados Unidos porque, no ano passado, Cannon já havia julgado um caso envolvendo Trump e decidiu a favor do ex-presidente.

Trump é o primeiro ex-presidente dos Estados Unidos a virar réu em um processo, e é acusado no momento em que pesquisas o apontam como favorito para concorrer às eleições presidenciais dos EUA de 2024 pelo Partido Republicano.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Donald Trump responde a 37 acusações de crimes federais por guardar documentos sigilosos do governo até no chuveiro
Reino Unido: ex-premiê britânico, Boris Johnson, renuncia como deputado por participar de festas na pandemia
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play