Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Cai avaliação do governo Lula após presidente comparar Israel com Holocausto, aponta pesquisa

A desaprovação ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu três pontos percentuais em fevereiro e chegou a 46%. É o que aponta o levantamento divulgado pela Genial/Quaest nesta quarta-feira (6). Em contraste, 51% dos entrevistados aprovam o trabalho do chefe do Executivo; outros 3% não souberam ou não responderam à pesquisa.

A queda na avaliação positiva de Lula ocorre após declaração em que o presidente comparou as operações militares de Israel na Faixa de Gaza ao extermínio de judeus promovido por Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial. Segundo a pesquisa, 60% dos brasileiros consideram que a comparação foi exagerada. A percepção de que Lula exagerou é ainda maior entre os evangélicos (69%), porém é menor entre aqueles que votaram no petista nas eleições de 2022 (43%).

Outro fator que explica a queda na aprovação do petista é a percepção da população sobre a economia do País. A pesquisa Genial/Quaest mostra que 38% dos entrevistados consideram que a situação econômica piorou nos últimos 12 meses. A expectativa sobre o futuro da economia brasileira também piorou, com 46% dos brasileiros achando que a economia vai melhorar no próximo ano, uma queda de 9 pontos percentuais com o levantamento de outubro de 2023.

Conforme o diretor da Quaest, Felipe Nunes, a diferença entre quem aprova e desaprova o governo do presidente é a menor desde que ele assumiu o Planalto em 2023. Foram ouvidas 2.000 pessoas, presencialmente, entre 25 e 27 de fevereiro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.

Avaliação do governo
Em outra pergunta, os entrevistados foram questionados sobre como avaliam o governo Lula. Conforme o levantamento, a gestão é avaliada como negativa por 34% dos entrevistados. Por outro lado, 35% avaliam o governo como positivo (eram 36% em dezembro). Não sabem ou não responderam se mantiveram em 3%.

Houve aumento de cinco pontos percentuais se comparado com dezembro de 2023, quando o índice era de 29%.A melhor avaliação do trabalho acontece na região Nordeste, com 68%. A pior é no Sul, com 40%. Centro-Oeste/Norte tem 50% de aprovação e o Sudeste, 44%.

Entre as mulheres, a aprovação caiu de 55% para 51%. Também houve queda na avaliação perante o público masculino, indo de 52% para 51%.

Para quem ganha até dois salários mínimos, o trabalho de Lula é aprovado por 61%. Entretanto, é desaprovado por 51% dos que ganham entre dois e cinco salários mínimos e por 54% dos que recebem mais de cinco salários mínimos.

Evangélicos e católicos
O governo Lula é visto como negativo por 48% dos evangélicos. Houve um aumento de 12 pontos percentuais se comparado ao levantamento de dezembro, quando o índice era de 36%. O governo é visto como positivo para 22% dos evangélicos; em dezembro eram 27%. Para 27% dos seguidores da religião, a administração é regular; no último mês de 2023, eram 34%. Não sabe ou não respondeu se manteve em 3%.

Entre os católicos, a visão negativa aumentou três pontos percentuais no período, indo de 25% em dezembro, para 28% agora. Porém, houve aumento entre quem vê a administração de maneira positiva, passando de 41% para 42%.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Justiça anula três condenações do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral
Ministério Público da Espanha pede prisão do técnico do Real Madrid Carlo Ancelotti
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play