Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Cientistas dos Estados Unidos retomam investigações sobre “múmias extraterrestres” do Peru

Os cientistas colocaram os objetos em máquinas de tomografia e esperam resultados mais concretos para explicar a origem dos misteriosos objetos. A história começou em 2017, quando funcionários da universidade San Luis Gonzaga, de Ica, onde fica Nazca, anunciaram “a grande descoberta arqueológica do século XXI” depois de acharem os corpos em meio a acusações de terem alterá-los para apresentá-los como extraterrestres.

O Ministério da Cultura do Peru é contra as investigações e afirma que os “corpos” são bonecos construídos por saqueadores de túmulos para vender no mercado negro. Na última quinta-feira, quando o grupo de cientistas fazia uma apresentação sobre as próximas etapas da investigação, uma mulher representante do Ministério da Cultura tentou interromper a apresentação.

O grupo de médicos que retomou as investigações é formado pelo dr. James Caruso, médico legista chefe e legista do condado da cidade de Denver, Colorado, William Rodriguez, antropólogo forense, examinador médico do estado de Maryland, eJohn McDowell, professor de odontologista forense aposentado da Universidade do Colorado.

Bonecos

Uma investigação forense realizada no Peru constatou que as duas “múmias extraterrestres” que haviam aparecido misteriosamente no aeroporto de Lima em outubro de 2023 eram, na verdade, bonecos feitos com ossos de animais.

“A conclusão disso em termos simples: é uma fraude. Não são extraterrestres, não são uma nova espécie”, disse em coletiva de imprensa o arqueólogo Flavio Estrada, do Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses do Peru.

As duas estatuetas, de cerca de 60 centímetros, apareceram no correio do aeroporto de Lima em uma caixa de papelão, e foram feitas para parecerem corpos mumificados, vestidos com trajes tradicionais andinos.

Na ocasião, alguns meios de comunicação especularam sobre uma possível origem alienígena.

O jornalista mexicano e entusiasta de OVNIs Jaime Maussan afirmou que esses corpos tinham cerca de 1 mil anos e foram recuperados no Peru em 2017, mas não estavam relacionados a nenhuma espécie conhecida.
Posteriormente, segundo a Reuters, a maioria dos especialistas também classificou a apresentação como fraude. Os corpos seriam possivelmente múmias humanas antigas mutiladas combinadas com partes de animais, mas certamente da Terra.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Ninguém é velho demais para ter uma infecção sexualmente transmissível
Um eclipse solar no Brasil ratificou Einstein e ajudou a criar o Google Maps
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play