Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Crianças brasileiras estão mais altas e mais obesas

As crianças brasileiras estão mais altas e mais obesas, de acordo com um estudo do Centro de Integração de Dados e Conhecimento para Saúde da Fundação Oswaldo Cruz em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a University College London.

Conforme a pesquisa, entre 2001 e 2014, a estatura infantil, em média, aumentou 1 centímetro no Brasil. Já prevalência de obesidade entre as crianças subiu cerca de 3%.

A pesquisa, publicada na revista The Lancet Regional Health – America, baseou-se na observação das medidas de mais de 5,7 milhões de crianças brasileiras. Segundo os pesquisadores, os resultados indicam que o Brasil, assim como os demais países em todo o mundo, está longe de atingir a meta da OMS (Organização Mundial da Saúde) de deter o aumento da prevalência da obesidade até 2030.

O excesso de peso é fator de risco para doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão, alguns tipos de câncer, entre outras enfermidades.

O estudo analisou dados de crianças de 3 a 10 anos que constam em três sistemas administrativos: o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), o Sistema de Informação de Nascidos Vivos (Sinasc) e o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan). Isso possibilitou uma análise longitudinal, ou seja, ao longo da vida de cada uma das crianças, por meio de informações coletadas ao longo dos anos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Brigada Militar realiza 28 mil prisões no primeiro trimestre deste ano no Rio Grande do Sul
Trajetória vitoriosa: o histórico do Palmeiras na Libertadores
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play