Segunda-feira, 20 de maio de 2024

Defesa de Ronnie Lessa abandona o caso após delação ser homologada

Os advogados Bruno Castro e Fernando Santana deixaram a defesa do ex-policial militar Ronnie Lessa, nesta quarta-feira (20), após a homologação de delação premiada no inquérito que apura o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes. Eles afirmam que seu escritório não atua para delatores ‘por ideologia jurídica’.

“Nossa indisposição à delação é genérica e pouco importa o crime cometido, quem tenha cometido e/ou contra quem foi cometido. Não atuar para delatores é uma questão principiológica, pré-caso, e nada tem a ver com qualquer interesse na solução ou não de determinada crime”, indicaram.

Castro e Santana atuavam em 12 processos contra Lessa e representaram o ex-PM por cinco anos.

“A partir de hoje não somos mais advogados de Ronnie Lessa. Nos cinco anos em que atuamos nos processos honramos nosso juramento como advogado, mesmo sob perseguição, mesmo sob ameaças, mesmo sob a falta de discernimento sobre nosso trabalho como defensor”, frisaram os advogados.

A delação de Lessa foi homologada na terça (19), pelo ministro do Supremo Alexandre de Moraes. Segundo o gabinete do ministro, foram verificados os requisitos de ‘regularidade, legalidade, adequação dos benefícios pactuados e dos resultados da colaboração à exigência legal’. O ex-PM teve uma audiência com Alexandre de Moraes na segunda (18).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Superior Tribunal de Justiça forma maioria para Robinho cumprir pena no Brasil
Ministério Público denuncia Jair Renan Bolsonaro por lavagem de dinheiro e falsificação de documentos
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play