Terça-feira, 21 de maio de 2024

Fórmula 1: após ter relógio de mais de R$ 2 milhões roubado; piloto da Ferrari corre atrás dos assaltantes e consegue recuperar pertence

Terceiro lugar na corrida realizada no Autódromo Nacional de Monza, na Itália, Carlos Sainz não terminou bem sua estadia na cidade italiana. Após a prova, o piloto da Ferrari foi supreendido por três assaltantes e teve o seu relógio Richard Mille, avaliado em 500 mil euros (cerca de R$ 2,6 milhões, na cotação atual) roubado na porta do hotel onde estava hospedado em Milão.

A informação foi divulgada pelos veículos da imprensa internacional e confirmada pela sede da polícia de Milão, que cuidou do episódio ocorrido de tarde, em frente ao hotel Armani, na via Manzoni.

Três suspeitos abordaram o piloto que estava na companhia de seu empresário e sem perder tempo, um deles arrancou um relógio do pulso do piloto da Ferrari e fugiu em direção à Via Montenapoleone, uma rua comercial de luxo em Milão.

O piloto de Fórmula 1 não pensou duas vezes, saiu do carro onde estava e começou a perseguir os assaltantes. Sainz conseguiu pegar um dos assaltantes, enquanto os outros dois foram posteriormente detidos, conforme anunciou a Polícia de Milão através de um comunicado oficial.

“Esta tarde, na zona de Monte Napoleone, em Milão, a Polícia Estatal prendeu três cidadãos marroquinos de 18, 19 e 20 anos em Milão por conspiração para roubar o piloto da Ferrari Carlos Sainz. No hotel, na via Manzoni, os três abordaram o motorista que estava na companhia do gerente e um deles roubou um relógio. O piloto de Fórmula 1 que estava no carro do gerente tentou impedir a fuga dos três e depois saiu do carro. E, com a ajuda de transeuntes, conseguiu deter um ladrão na via Pietro Verri. O segundo foi parado na via della Spiga pelo responsável pelo piloto da Ferrari, e o terceiro foi parado não muito longe por outro funcionário com a colaboração dos transeuntes”, disse a polícia italiana em comunicado.

Outro caso

O assalto sofrido por Sainz foi muito parecido com o que seu companheiro Charles Leclerc sofreu há cerca de um ano e meio. No dia 18 de abril do ano passado, o monegasco teve seu relógio Richard Mille avaliado em cerca de 2 milhões de euros roubado por falsos admiradores que se tinham aproximado do piloto da Ferrari com a desculpa de tirar uma selfie.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Neymar desabafa sobre “inferno” vivido no PSG com Messi e deixa torcedor do Santos animado; entenda
Antony nega acusações de agressão contra ex-namorada: “Sou inocente”
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play