Sábado, 27 de novembro de 2021

Nasa anuncia que a volta do homem à Lua vai atrasar em um ano

A primeira missão da Nasa (agência espacial norte-americana) desde 1972 para levar humanos à superfície da Lua foi adiada para 2025, um ano depois da previsão anterior.

Poucos analistas acreditavam que a Nasa conseguisse cumprir o prazo de 2024, dada a redução de verbas e disputas judiciais em torno do veículo de pouso. O adiamento foi confirmado a jornalistas pelo chefe da agência espacial, Bill Nelson, na manhã desta quarta-feira (10).

No programa Artemis, a Nasa enviará a primeira mulher e o 13º homem à superfície lunar.

Bezos x Musk

A missão também envolve uma disputa judicial entre os dois homens mais ricos do mundo. Um juiz federal dos Estados Unidos manteve recentemente uma decisão da Nasa de conceder o contrato à empresa SpaceX, de Elon Musk, para construir um veículo de pouso lunar para a missão à Lua.

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, contestou a decisão, em parte porque argumenta que o contrato deveria ter sido concedido a mais de uma empresa envolvida no processo de licitação. A empresa de Bezos, Blue Origin, fez parceria com três outras empresas aeroespaciais para concorrer ao prestigioso contrato de pouso.

No entanto, uma redução do financiamento da Nasa pelo Congresso americano impossibilitou essa partilha, segundo justificativa publicada pela agência espacial na época do anúncio do contrato. A Nasa recebeu apenas US$ 850 milhões (R$ 4,6 bilhões) dos US$ 3,3 bilhões (R$ 18,1 bilhões) que pediu ao Congresso dos EUA para construir a plataforma de pouso na Lua.

Bezos chegou a se oferecer para bancar US$ 2 bilhões (mais de R$ 10,3 bilhões) dos custos da Nasa em troca de participar do contrato de construção de um veículo de pouso na Lua.

O chefe da Nasa atribuiu parcialmente o atraso da missão de pouso ao imbróglio judicial.

“Retornar à Lua o mais rápido e seguro possível é uma prioridade da agência. No entanto, com o processo judicial recente e outros fatores, o primeiro pouso humano no programa Artemis provavelmente não ocorrerá antes de 2025”, disse.

Mas analistas têm apontado desde o ano passado que o problema de financiamento do módulo de pouso é o que tornou insustentável a previsão anterior da missão, para 2024.

Se a decisão judicial da semana passada for mantida por outros tribunais, uma versão da nave da SpaceX, atualmente em teste no Texas, será o veículo usado para transportar a tripulação até a superfície lunar em 2025.

A primeira missão do programa Artemis está programada para decolar em fevereiro de 2022. A Nasa lançará a espaçonave Orion no poderoso foguete Sistema de Lançamento Espacial (SLS) sem pessoas a bordo.

Durante esta missão, Orion voará ao redor da Lua em uma viagem de três semanas para testar seus sistemas.

O primeiro voo com astronautas, batizado de Artemis-2, acontecerá em 2024, disse o chefe da Nasa.

O passo seguinte, a Artemis-3, será a primeira missão a retornar à superfície da Lua desde a Apollo 17, em 1972. Ela deve pousar no polo sul lunar, que supostamente contém grandes reservas de água gelada em crateras que nunca recebem a luz do sol.

Em tese, o gelo nessas crateras poderia ser usado para fazer combustível para foguetes, reduzindo o custo da exploração lunar.

O programa também verá a primeira pessoa não branca pousar na Lua, embora não esteja claro se isso acontecerá durante a Artemis-3 ou em uma missão lunar posterior.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Seis funções que a geladeira smart pode fazer e a tradicional não
Airbnb aluga versão de apartamento de Carrie, do seriado “Sex and the City”, com recepção de Sarah Jessica Parker
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play