Segunda-feira, 15 de agosto de 2022

Saiba por que a busca por rinoplastia cresce no Brasil

O aumento na procura por rinoplastia foi uma das consequências da pandemia de covid-19. O termo foi o mais buscado no Google Trends nos primeiros meses de 2022 (de janeiro a junho), se comparado à lipoaspiração. Além disso, a cirurgia do nariz foi o procedimento facial mais realizado entre os brasileiros, segundo uma pesquisa da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face (ABCPF) em 2020.

Um outro número também mostra o protagonismo da rinoplastia no Brasil: o país liderou o ranking da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS, na sigla em inglês) em 2020. Segundo o levantamento do ISAPS, 87.879 rinoplastias foram feitas no Brasil. Em segundo lugar vem a Turquia, com 66.950 e, em terceiro, os Estados Unidos, com 55.436.

Mas por que o país teve esse aumento na procura por procedimentos no nariz? Segundo especialistas, há duas grandes razões para isso: a era da selfies e as inúmeras videoconferências, uma prática que aumentou na pandemia. Além disso, o trabalho em casa, o isolamento social e o uso de máscara ajudaram na recuperação dos pacientes, sem necessidade de afastamento do trabalho.

“Essa vontade de estar bem consigo mesmo foi exacerbada com a popularização das selfies. As pessoas começaram a se autoanalisar e a cirurgia do nariz começou a ser mais procurada. O nariz, sozinho, pode embelezar ainda mais o rosto”, acredita o cirurgião plástico Volney Pitombo, que também é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).
A pandemia e as inúmeras videoconferências também colaboraram por essa busca pelo nariz ‘ideal’. As pessoas se viram mais no vídeo, em telas pequenas, com uma luz não tão adequada, acentuando ainda mais pequenos defeitos que, antes do lockdown, não eram tão perceptíveis.

“O home office e as gravações em vídeo acentuaram os pequenos defeitos. Além disso, o fato da pessoa estar em casa aumenta a disponibilidade para a recuperação. O pós-operatório fica mais discreto”, completa o cirurgião Rodrigo Lacerda, membro da ISAPS.

Uma boa rinoplastia

Segundo os cirurgiões plásticos, o primeiro passo é escolher um bom especialista. A primeira dica é checar se ele é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Procure referências, converse com outras pessoas que já fizeram a cirurgia com o profissional, veja se elas gostaram. E não confie em fotos de redes sociais de “antes x depois”.

“Essas fotos são proibidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Não tem como o profissional prometer um resultado. Por isso, é preciso cuidado com as redes sociais. A grande maioria de pacientes que recebemos para reoperar são aqueles que procuravam médicos que bombavam em redes sociais”, alerta Rodrigo Lacerda.

Feito isso, vale lembrar que cada nariz é único. Não adianta o paciente aparecer com uma foto de artista, querendo determinado formato. “Temos que explicar tudo e não só fazer o que o paciente quer. É comum paciente chegar com foto de artista, celebridade, querendo o nariz da pessoa. Nós temos que respeitar o rosto do paciente, a etnia, precisa harmonizar”, diz o cirurgião plástico.

O segredo de uma boa rinoplastia está na harmonia – é preciso ter equilíbrio estético e funcional. “O nariz precisa ser harmônico, compatível com o rosto da pessoa. Não existe uma padronização do nariz. Ele pode ficar bonito em uma pessoa e feio em outra”, alerta Lacerda.

Volney Pitombo explica que a rinoplastia não é uma cirurgia simples. “É uma operação muito elaborada e muito difícil. É a última cirurgia que ensinamos para o jovem médico, porque precisa de critério, sensibilidade e noção. Nós temos que balancear o nariz com os olhos, com a boca. Quando vemos um nariz muito operado, extravagante, fica artificial, fica fora do rosto”, diz.

Ele explica que a beleza do nariz está na ponta. “O cirurgião precisa fazer o equilíbrio entre a ponta do nariz e o dorso. É esse equilíbrio que dá a beleza. É ele que define uma boa cirurgia, que deixa natural”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Você viu?

Saiba como as alterações do sangue podem influenciar a covid
Claudia Leitte sobre os 20 anos de carreira: “Me sinto feliz e realizada com o que vivi. Não mudaria nada”
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play