A Polícia Rodoviária Federal apreendeu 280 quilos de maconha em Bento Gonçalves

Equipes da PRF (Polícia Rodoviária Federal) prenderam um homem que transportava 280 quilos de maconha pela BR-470, em Bento Gonçalves, na tarde desta terça-feira (15). Durante patrulhamento ostensivo na região serrana, os agentes da PRF deram ordem de parada a um BMW X1 emplacado em Florianópolis (SC). O condutor do veículo desobedeceu e fugiu em alta velocidade, sendo perseguido por mais de 5 quilômetros pelos agentes. Ao acessar uma estrada de chão, o criminoso perdeu o controle do veículo, saiu de pista e tentou fugir correndo pela mata.

O criminoso, um homem de 21 anos natural de Cascavel/PR, foi localizado e preso. Os 544 tabletes de maconha teriam sido carregados em Chapecó e seriam entregues em Novo Hamburgo, na região do Vale do Sinos. O veículo utilizado para o crime havia sido roubado em Glorinha há um ano e transitava com placas clonadas. O criminoso, a droga e o veículo foram encaminhados à área judiciária em Caxias do Sul.

Detran

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária, desencadeou na manhã desta teça (15), a Operação Transitório, com o objetivo de apurar a prática de crimes contra a Administração Pública e a Fé Pública, e de Associação Criminosa, dentre outros.

Três pessoas foram presas em cumprimento a mandados de prisão temporária. Nas buscas, documentos diversos, veículos e arma de fogo foram apreendidos. Os 18 mandados judiciais de busca e apreensão foram cumpridos nos municípios de Porto Alegre, Canoas, Bento Gonçalves, Flores da Cunha, São Luiz Gonzaga, Santiago e São Borja. As prisões foram cumpridas , em Porto Alegre e Santo Antônio das Missões.

As investigações revelaram que quase mil procedimentos realizados no Sistema Informatizado – GID do Detran/RS (Departamento de Trânsito do Rio Grande do Sul), sobretudo quanto à inclusão, à alteração e à transferência de veículos automotores, foram realizados fora do trâmite legal. Suspeita-se que a senha de ao menos um servidor público do órgão tenha sido obtida de forma ilícita pelos investigados, ou de alguma forma a estes repassada, e posteriormente utilizada em transações, efetuadas, em sua maioria, em horários noturnos e finais de semana, abarcando, até o momento, cerca de 322 placas de automóveis.

De acordo com os delegados André Lobo Anicet, Marcus Vinícius Viafore e Max Otto Ritter, os fatos investigados apontam para a realização de diversas alterações fraudulentas, tais como, mudanças de proprietários; alterações de endereços de entregas dos documentos veiculares; mudanças de numerações de chassis; reativações de veículos baixados; alterações de números de motor; liberações para uso de diesel; liberações de restrições administrativas; e transferências de veículos de pessoas falecidas.

Ainda conforme a investigação, após a análise das operações fraudulentas, estima-se em montante nominal aproximado de R$ 450.926,11 em pagamentos que deixaram de ser efetuados ao Detran. Os delegados destacaram que as supostas fraudes chegaram ao conhecimento da Delegacia Especializada por meio de denúncia remetida pela Corregedoria do Departamento Estadual de Trânsito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *