Incêndio no CT do Flamengo: ex-presidente do clube é indiciado por homicídio

O ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e outras sete pessoas foram indiciadas por homicídio com dolo eventual — quando não tem intenção, mas assume o risco de matar — pelo incêndio no Ninho Urubu, no Centro de Treinamento do Clube que ocorreu em fevereiro deste ano e deixou 10 jogadores de base mortos.

A decisão foi assinada pelo delegado Márcio Petra, da Polícia Civil do Rio de Janeiro. De acordo com relatório, houve uma série de falhas que poderiam ter evitado o incêndio no local. Entre os problemas encontrados, está a estrutura incompatível de dormitório. Os adolescentes residiam e dormiam em contêineres que apresentavam irregularidades estruturais e elétricas, além de ausência de reparos nos aparelhos de ar condicionado instalados no local. A estrutura também não contava com alvará de funcionamento ou certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros.

O incêndio que deixou 10 mortos e outros 3 feridos foi causado por um curto-circuito em um dos aparelhos de ar condicionado, e o material de revestimento dos módulos permitiu que as chamas se espalhassem com facilidade e rapidez. O Flamengo, bem como o ex-presidente do clube, disseram que ainda não foram notificados e só irão se posicionar após tomarem conhecimento do relatório enviado.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *