Liquidações em janeiro ajudam a incrementar as vendas do varejo

Os lojistas do Rio Grande do Sul e do Brasil estão buscando novas formas de ampliarem suas vendas, além das tradicionais datas festivas. Uma dessas estratégias é promover liquidações nas primeiras semanas de janeiro, a fim de comercializar produtos em estoque que não foram vendidos no Natal. Desta forma, o consumidor pode aproveitar descontos que chegam a até 70% em diversos artigos.

Levantamento realizado pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS aponta que as promoções se concentram em produtos como roupas, eletroeletrônicos e eletrodomésticos, cuja atualização de itens acaba acontecendo mais rapidamente. Esse fator leva os lojistas a ofertarem descontos atraentes para os consumidores. O detalhe é que não apenas as grandes redes promovem liquidações. As pequenas lojas também estão fazendo promoções neste período.

O presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, destaca que com essas ações os lojistas buscam aquecer as vendas no início do ano, período em que as famílias enfrentam uma série de obrigações extras, como IPVA, IPTU e compra de material escolar, que acabam por consumir boa parte do orçamento.

– Com os descontos ofertados, os preços caem e isso ajuda os clientes a destinarem recursos para o consumo. A estratégia tem se mostrado vantajosa para os varejistas e para a população – reforça Vitor Augusto Koch.

Outro aspecto importante lembrado pelo presidente da fCDL-RS é que os consumidores saibam aproveita as boas oportunidades de compras sem comprometer a saúde financeira familiar ao longo do ano.

– É preciso agir com sabedoria na hora de comprar. Os lojistas melhoraram o planejamento para promoverem as liquidações, tentando se adequar à nova realidade econômica do país e buscando uma alternativa para superar os dias mais difíceis. No entanto, não adianta vender sem que exista o devido pagamento pelo produto. Os consumidores devem estar conscientes de que possuem condições de pagar pelo que compram, sem apelar para custos financeiros absurdamente altos e não entrarem em situação de inadimplência – ressalta Vitor Augusto Koch.

Pelas estimativas da FCDL-RS, as vendas em janeiro das lojas que adotarem esta estratégia de liquidação devem crescer em patamares próximos a 7% em relação ao mesmo período de 2018. Dois fatores devem contribuir para isso: o mercado consumidor gaúcho se mantém aquecido desde o segundo semestre de 2017, recebendo agora o importante reforço de maior otimismo e confiança em relação ao futuro; e a oferta de preços com forte redução.

A prática de liquidações neste período tem proporcionado uma maior participação de janeiro e fevereiro – tradicionalmente os meses de menor movimento nas lojas – nas vendas totais do ano. Até 2013, os dois meses representavam cerca de 14% do volume comercializado pelo varejo no Rio Grande do Sul. Atualmente esta participação aumentou para o patamar de 16%, o que representa um grande progresso para os lojistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *