O Hospital Moinhos de Vento faz a demonstração de um novo tomógrafo que realiza exames com maior precisão em menos de um segundo

Com uma redução de até 85% da radiação emitida pelos modelos convencionais e velocidade de diagnóstico que facilita o atendimento de crianças e pacientes em tratamento de câncer, o novo tomógrafo do Hospital Moinhos de Vento é o primeiro de sua geração em operação na Região Sul.

Nesta quarta-feira (3), jornalistas poderão conhecer os detalhes da operação do esquipamento, que será apresentado pelos médicos Felipe Victora Wagner, cefe do Serviço de Radiologia; João Krauser, chefe do Serviço de Pediatria e Paulo Roberto Schwartzman, coordenador do Núcleo de Imagem Cardíaca do Serviço de Radiologia dos Hospital Moinhos de Vento. A imprensa também poderá conversar com Patrícia Fagundes, mãe do pequeno Theo Fagundes, de 10 meses, que está internado para tratamento de um tumor hepático, e que já realizou exames mais rápidos com a nova tecnologia.

Todas as especialidades médicas são beneficiadas com a tecnologia Dual Source CT (DSCT) – dois sistemas trabalhando em conjunto –, que aumenta a velocidade na captura de imagens e torna mais rápida a realização de exames, permitindo muitas vezes a dispensa de anestesia.

Os procedimentos em crianças, que costumam se movimentar e não respondem a comandos de respiração, também ficam mais fáceis. Isso tende a resultar em limitações técnicas em exames nos quais o paciente precisa permanecer imóvel. A realização do exame em apenas um segundo evita a sedação do paciente infantil, muito frequente no modelo anterior. A agilidade na operação também auxilia pacientes inconscientes ou com o estado mental alterado oriundos de unidades de cuidado intensivo e emergência.

Ao reduzir a emissão de radiação, o equipamento também amplia, por exemplo, a segurança das pacientes de câncer de mama, que precisam ser submetidas a exames de tomografia computadorizada periodicamente, especialmente após o tratamento.

A novidade ainda permite a realização de novas técnicas de imagem. Aplicações dessa tecnologia estão se tornando mais comuns na prática clínica com vantagens em relação à tomografia computadorizada convencional. Entre as quais, a caracterização de cálculo renal, detecção de edema na medula óssea, detecção de gota nas articulações e mapas de perfusão dos pulmões, crânio e órgãos abdominais.

Com o investimento de R$ 6 milhões, o equipamento fabricado pela Siemens apriora a medicina e a assistência de excelência do Moinhos de Vento, fortalecendo ainda mais a atuação do Hospital em alta complexidade.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *