Vice-presidente Hamilton Mourão afirma apoiar Donald Trump na construção do muro com o México

*Por Jornal O Sul

O vice-presidente Hamilton Mourão disse no sábado (6), em Boston (EUA), que apoia a construção de um muro separando os Estados Unidos e o México. O projeto é a principal proposta de campanha do presidente americano, Donald Trump, e, mais de dois anos depois das eleições, caminha a passos lentos e enfrenta resistência. As informações são da BBC.

Na última quinta-feira, a câmara dos Deputados americana, que tem maioria democrata, de oposição a Trump, abriu um processo judicial em um tribunal federal de Washington contra membros da administração do governo.

O presidente americano declarou estado de emergência no país para poder utilizar recursos militares para viabilizar a construção do muro, cujo financiamento não era apoiado pela maioria dos parlamentares. No processo judicial, a oposição alega que a declaração de emergência desrespeita a vontade dos parlamentares.

Em visita a Washington, em março, o presidente Jair Bolsonaro deu entrevista à emissora Fox News e declarou que “vê com bons olhos” a construção do muro na fronteira que divide norte-americanos e mexicanos.

Questionado durante entrevista coletiva pela BBC News Brasil se concordava com o apoio à controversa construção, o vice-presidente reagiu com surpresa: “Ele falou isso mesmo?”. Após a confirmação de auxiliares, Mourão completou: “Bom, se o presidente apoia, eu também apoio”.

Na mesma entrevista à Fox News, em março, Bolsonaro chamou atenção internacional ao declarar que “a maioria dos imigrantes não tem boas intenções”.

Diante da má repercussão da frase, o presidente disse a jornalistas no dia seguinte, horas depois de se reunir com Trump, que havia se enganado. “Uma boa parte tem boas intenções, a menor parte, não. Houve um equívoco da minha parte, peço desculpas. Agora, tem muita gente que está de forma ilegal aqui e isso é uma questão de política interna deles, não é nossa.”

Um mês antes, durante uma festa no resort de Donald Trump na Flórida, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, também apoiou a medida. “Como trabalhei na fronteira entre o Brasil e a Bolívia, nós sabemos como as coisas funcionam. Então, construam o muro. Nós, brasileiros, estamos apoiando vocês”, disse.

O parlamentar também afirmou que “brasileiro ilegalmente fora do país é problema do Brasil, é vergonha nossa”. As declarações do presidente na época criaram desconforto nas relações bilaterais entre Brasil e México, segundo diplomatas ouvidos pela BBC News Brasil.

“Em um momento em que precisamos melhorar nossa economia e nossas relações comerciais, uma declaração como esta nos afasta de uma das maiores economias da América Latina”, afirmou um membro do governo em condição de anonimato.

Questionado pela imprensa mexicana sobre as frases de Bolsonaro, o presidente Andrés Manuel López Obrador fez troça. “Que o diga meu dedinho”, afirmou, enquanto fazia sinal negativo com as mãos.

Visita

Mourão afirmou que o objetivo de sua visita a Boston, pouco mais de duas semanas após o encontro entre Bolsonaro e Trump, é ter a oportunidade de dialogar com brasileiros que vivem nos EUA e “poder trazer a mensagem do governo brasileiro” para os participantes da Brazil Conference, evento organizado por estudantes de Harvard e do MIT. “E, obviamente, trabalhar para a construção da imagem positiva do nosso governo e, obviamente, do nosso país.”

De Boston, Mourão viaja para Washington, onde se encontra com o vice-presidente americano Mike Pence. “O grande objetivo, único e exclusivo, é a gente estabelecer um canal. Já que os dois presidentes já estabeleceram, é importante que tanto eu como o vice-presidente americano tenhamos esse canal aberto. A gente só consegue estabelecer um canal dessa natureza quando a gente se senta para conversar e trocar opiniões.”



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *