Quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Brasileiros já compram mais pela internet do que em lojas físicas

Mesmo com a desaceleração econômica em todo o mundo, o varejo online continua ganhando destaque como uma fonte de vendas constantes. No Brasil, 61% dos consumidores preferem realizar compras online em vez de se dirigirem às lojas físicas. Ou seja, em média, a cada cinco pessoas, três adquirem algo pelo e-commerce. Além disso, mais de 40% afirmaram comprar online mais de uma vez por mês ― variando de uma a várias vezes por semana.

Os dados fazem parte do anuário E-commerce Trends 2023, elaborado pela Octadesk em parceria com a Opinion Box. O levantamento ouviu 2 mil pessoas para mapear as tendências que afetarão diretamente os negócios no próximo ano e entender as transformações do consumidor.

Mais do que nunca, os consumidores demandam comodidade, e os comerciantes correm para aprimorar o atendimento e oferecer uma maior variedade de produtos.

Preço e praticidade

“Neste material, vimos que preço e praticidade foram os principais fatores que impulsionam o varejo online. 73% dos entrevistados afirmaram que nas lojas online é possível encontrar preços mais baixos do que nas lojas físicas. Já 72% contam que a praticidade de comprar sem sair de casa é o principal ponto. Além disso, promoções que só se encontram na internet (69%), facilidade para comparar preços (63%) e maior variedade de produtos (55%) também foram listados”, diz Rodrigo Ricco, CEO da Octadesk.

Ele completa que a experiência de compra está ligada aos principais fatores que influenciam o cliente na tomada de decisão.

“Além das questões financeiras, é fundamental garantir uma experiência positiva em toda jornada virtual. O processo de compra precisa ser fácil e prazeroso, buscando oferecer uma boa experiência desde a navegação na loja, a descrição do produto, passando pela agilidade no caso de necessidade de atendimento”, diz.

Atendimento

O anuário mostra que os canais de atendimento também influenciam o consumo do público.

“Isso acontece porque a qualquer momento o cliente pode precisar entrar em contato com a empresa, seja para tirar uma dúvida, fazer uma reclamação ou oferecer sugestões”, comenta Rodrigo.

Neste cenário, o chat online foi o favorito com 39%, em seguida apareceu o WhatsApp (28%) e em terceiro, as redes sociais (12%).

“Vale destacar que, de todos os canais citados, os consumidores tiveram menos preferência pelo e-mail, com apenas 5% dos votos. Por isso, é interessante ficar de olho no que está em alta e, principalmente, no que não favorece as estratégias do seu negócio, para manter a competitividade no mercado”, completa.

Desempenho

Se antes, acreditava-se que algum produto não teria uma boa performance no online por conta de limitações, hoje, o estudo mostra que o e-commerce evoluiu a ponto de minimizar os principais atritos. Com ajuda de tecnologia de Realidade Virtual e Realidade Aumentada ou até mesmo com a logística reversa, os segmentos que apresentam melhor performance de vendas no ambiente virtual foram roupas (60%), eletrônicos (49%), calçados (47%), eletrodomésticos(42%) e artigos de beleza (41%).

“Investir em preços competitivos, na praticidade e em promoções pode ajudar a fazer com que o seu e-commerce se destaque no nicho de atuação. Assim, é possível garantir que os consumidores escolham e consumam o seu produto ou serviço”, finaliza Ricco.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Entenda como surgiu o rombo bilionário nas Lojas Americanas
China diz que surto de covid infectou 80% da população
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play