Domingo, 21 de julho de 2024

Cadernetas da Criança começam a ser distribuídas para municípios com decretos de calamidade pública no Rio Grande do Sul

O setor de Suprimentos da SES (Secretaria Estadual da Saúde) entregou, na segunda-feira (17), o primeiro lote de 110 Cadernetas da Criança, do total de cerca de 10 mil, para ser enviado a municípios em situação de calamidade pública causada pela enchente no Rio Grande do Sul. A primeira remessa foi para a 11ª CRS (Coordenadoria Regional de Saúde), com sede em Erechim.

As cadernetas estão sendo distribuídas de forma excepcional para crianças menores de cinco anos. Até sexta-feira (21) serão entregues todos os lotes, destinados a municípios de mais nove regionais de saúde (Porto Alegre, Pelotas, Santa Maria, Caxias do Sul, Passo Fundo, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul, Lajeado e Osório).

A ação visa suprir os documentos que foram perdidos ou avariados. A distribuição está sendo organizada pela SES em conjunto com o Ministério da Saúde, que enviou os materiais.

A SES orienta aos municípios que a entrega das cadernetas em lote extraordinário é prioritária para crianças em abrigos ou desalojadas, mas também pode ser realizada nas unidades de saúde básica ou por busca ativa, conforme disponibilidade das equipes.

No momento da entrega, os profissionais da saúde devem preencher as cadernetas com os dados de identificação e outras informações que forem possíveis de se obter. Posteriormente, em consultas de rotina, outras informações podem ser complementadas.

Distribuição gratuita

A Caderneta da Criança se destina ao registro de informações clínicas e acompanhamento do crescimento e desenvolvimento de crianças até os nove anos de idade. O item é distribuído de forma gratuita diretamente pelas maternidades (públicas e privadas) do Estado para os familiares de recém-nascidos.

No documento, que orienta sobre os cuidados com a criança para que ela cresça e se desenvolva de forma saudável, devem ficar registrados dados sobre atendimentos nos serviços de saúde, educação e assistência social.

Além disso, constam informações sobre direitos e deveres das crianças e dos pais, aleitamento materno, alimentação complementar saudável, vacinas, saúde bucal, marcos do desenvolvimento, consumo e acesso aos equipamentos e programas sociais e de educação. Ao registrarem as informações na caderneta da criança, os profissionais compartilham os dados com a família e facilitam a integração das ações sociais.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Presidente da Câmara dos Deputados diz que autonomia do Banco Central aumentou credibilidade na política monetária
Porto Alegre recebe nota A no ranking do Tesouro Nacional pelo terceiro ano consecutivo
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play