Domingo, 07 de agosto de 2022

Em meio a crise no governo, ministro da Economia argentino deixa cargo

O ministro da Economia da Argentina, Martín Guzmán, responsável por importante acordo de dívida recente com o Fundo Monetário Internacional (FMI), pediu demissão. A saída ocorre no momento em que surgem profundas divisões na coalizão governista sobre como lidar com as crescentes crises econômicas.

Guzmán, no cargo desde o fim de 2019 e aliado próximo do presidente Alberto Fernández, publicou carta no Twitter anunciando a decisão. Ele afirmou que mantém confiança em sua visão do caminho que a Argentina deve seguir.

O presidente peronista de centro-esquerda está enfrentando seu mais baixo índice de aprovação desde que tomou posse em 2019, com fissuras na coalizão, inflação acima de 60%, moeda sob crescente pressão e títulos soberanos em mínimas históricas.

Guzmán, um moderado, entrou em conflito com a poderosa vice-presidente Cristina Kirchner, ex-presidente por dois mandatos, que criticou sua maneira de lidar com a economia e pediu maiores gastos para aliviar os altos níveis de pobreza.

A demissão deixa o ministério sem liderança, no momento em que Guzmán viajaria à Europa para negociar um acordo de dívida de US$ 2 bilhões com o Clube de Paris, de credores soberanos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Deputado Danilo Forte será relator na Câmara da PEC dos Benefícios
Sobem para 40.070 os casos fatais de coronavírus no Rio Grande do Sul
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play