Sábado, 24 de fevereiro de 2024

Fazer empréstimo para quitar dívida é um bom negócio; saiba como

Começar o ano com as contas em dia é o sonho da maior parte das pessoas, mas nem sempre organizar as finanças é fácil. De acordo com o último levantamento do Mapa da Inadimplência do Serasa, 69,83 milhões de brasileiros estão com o nome restrito, ou seja, com acesso limitado ao crédito.

E para quem está próximo de negativar o nome, pegar um empréstimo para quitar as dívidas pode ser uma boa ideia? Negociar todos os débitos existentes e solicitar um financiamento para pagar valores à vista, aproveitar descontos e ficar apenas com uma dívida, pode sim ser uma alternativa.

Para André Oliveira, CEO da CredFácil, que atua no ramo de empréstimos e financiamentos consignados, é preciso analisar valores, prazo e taxas de juros.

“O juros do novo débito precisa ser menor do que os das dívidas atuais, para que o empréstimo que tem como propósito quitar as dívidas seja uma boa alternativa. Então analise as taxas que está pagando e compare com a de um empréstimo consignado, que costumam ter valores mais baixos, entre 1% até 1,8%”, diz ele.

Trocar uma dívida por outra pode ajudar a economizar e entrar no novo ano no azul.

“Se o empréstimo para quitar uma dívida reduzir o tempo de endividamento e ainda a taxa de juros for menor, além do cliente conseguir se organizar financeiramente, ele tem a oportunidade de tirar do papel outros sonhos”, explica o profissional.

Desconto

Ainda, é comum que o inadimplente receba descontos e ofertas especiais para quitar dívidas antigas, como um incentivo para finalizar o débito. Assim, se a proposta for atrativa o suficiente, pode compensar o empréstimo solicitado, mesmo que gere uma nova dívida ou acompanhe algumas taxas de juros.

Com essa opção, o consumidor pode ter mais tempo para administrar suas finanças, além de aproveitar a promoção oferecida pela instituição para encerrar uma conta. Essa situação pode ser ainda mais interessante se resultar na retirada do devedor dos órgãos de restrição ao crédito. Ficar com o nome negativado pode reduzir consideravelmente o poder de compra, além de dificultar a contratação de outros tipos de serviços e facilidades.

Quitação futura

Antes de contratar um empréstimo para quitar dívida, o inadimplente também deve avaliar quais as possibilidades de quitação futura que ele terá.

Em algumas situações, pode valer a pena optar por essa alternativa se o consumidor possuir maior certeza de que conseguirá pagar o valor sem contrair novas dívidas. É o caso, por exemplo, de indivíduos que conseguem um novo trabalho, ou têm previsão de receber novos recursos financeiros nos próximos meses. Com isso, pode ser interessante adquirir um empréstimo para pagar as dívidas mais urgentes, pois, no futuro, terá mais certeza de que conseguirá quitar esse novo valor.

Cuidados

André Oliveira, da CredFácil, também alerta sobre os cuidados que os clientes devem ter para não cair em golpes com as empresas que prometem liberação de crédito fácil. Segundo os executivos, a dica é verificar o endereço da empresa e se atentar a reputação no mercado, além de conferir se seguem as normas do Banco Central para conceder crédito.

E mais e não menos importante: não fazer pagamentos ou depósitos adiantados e nunca passar dados pessoais e documentos para desconhecidos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Rússia cogita guerra nuclear contra escalada militar do Ocidente na Ucrânia
Entenda como o rombo bilionário nas lojas Americanas ficou escondido e quais podem ser os reflexos na economia brasileira
Pode te interessar
Baixe o app da TV Pampa App Store Google Play